loader
Início Colunas “Atendi...

“Atendimento personalizado”. Será mesmo?

Poucos produtos e serviços cumprem realmente a promessa da singularidade


0
Tamara Bischoff, jornalista e psicóloga

Estamos na era dos produtos e serviços personalizados. Parece que tudo foi feito pensando nas suas particularidades.

Mas quando você se aproxima um pouco e resolve colocar uma lupa pra enxergar melhor, a ilusão se vai, porque pouca coisa cumpre aquilo que prometeu. Outro dia vi até um anúncio de profissional da área da saúde oferecendo “atendimento individualizado” como se fosse um grande diferencial. E talvez seja mesmo, porque mesmo nesse meio, que presume uma escuta e um tratamento únicos, por vezes, faltam essas características.

Se por um lado tentamos o tempo todo um olhar que nos enxergue de maneira particular, por outro, nos entregamos a formatos que são feitos para a massa. Frases prontas, livros de autoajuda, conselhos de vida solicitados no Instagram. E assim, seguimos, incompreendidos e frustrados.


ouça o quadro


 

O psicanalista Carl Jung, contemporâneo de Freud, já dizia: “O sapato que se ajusta a um homem aperta o outro; não há nada para a vida que funcione em todos os casos”.
Para uns, o que dá certo é “o milagre da manhã”, para outros talvez seja o da noite. O problema é que quando você compra uma ideia de sucesso criada para o todo, é bem provável que lá pelas tantas abandone aquilo, porque não faz sentido pra você. Outra hipótese é que, ao não conseguir o sucesso prometido, se decepcione ainda mais, e se sinta um derrotado, porque nem com aquela fórmula tão simples, com a qual todos conseguem, você conseguiu resolver o seu problema.

Talvez nunca estivemos tão presos à massa e, justamente por isso, tão em busca de um olhar personalizado, querendo, por um momento que seja, nos sentir únicos.

No texto “Quem criou a selfie”, Mario Corso, escritor e psicanalista gaúcho, observa que nas fotos de antigamente alguém parava para nos registrar; assim, elas supunham um olhar sobre nós. Nas fotos de hoje, as selfies, o olhar externo é posterior. Eu me fotografo para que você me olhe, ou seja, as fotos são um pedido de um olhar.

Você já teve uma experiência de decepção desse tipo, na qual o que era pra ser personalizado não atendeu suas expectativas? Conta aí e compartilha com os amigos. 👇

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui