Aulas presenciais na rede municipal de Estrela retornam entre a segunda e terceira semana de outubro

Início ocorrerá pelas turmas da pré-escola, mas com diferenças em relação ao período pré-pandemia, em razão dos protocolos de segurança.


0
Foto: Reprodução / Pixabay

A Secretaria Municipal de Educação de Estrela agiliza os processos para cumprir os protocolos sanitários e de saúde, em razão da pandemia, para o retorno das aulas presenciais na rede municipal. A retomada das atividades será de forma gradual, iniciando com a pré-escola, que compreende as crianças entre 4 e 6 anos.

O retorno, segundo a Prefeitura de Estrela, deve ocorrer entre a segunda e terceira semana de outubro, mas terá que seguir algumas restrições protocolares, conforme determinam decretos estaduais, os quais devem ser seguidos pelos municípios. Entre elas está o atendimento de no máximo 50% da capacidade da turma. “A obrigação de atender a 50% nos obriga, neste momento, a abrir mão do turno integral. Optamos pelo parcial, a fim de atender a todos ao menos uma parte do dia”, destaca o secretário de Educação, Marcelo Mallmann.

A família terá que optar pela parte da manhã, das 7h às 12h, ou à tarde, das 13h às 18h. Já as segundas-feiras, conforme o secretário, serão reservadas às atividades ainda não presenciais, como educação física, artes e outras, as chamadas específicas e o atendimento será de forma remota. Por enquanto não será servido almoço na escola, mas apenas lanches pela manhã e à tarde, somando três refeições em cada turno. Neste período de tempo, antes dedicado à principal refeição nas escolas, será feita a higienização dos espaços, brinquedos e materiais. A secretaria encaminhou uma pesquisa aos pais para ter um retorno, até domingo (04), da sua posição quanto ao atual contexto de volta às aulas na pré-escola, para então definir o cronograma.

Para as crianças de 0 a 3 anos, a chamada “etapa creche”, o retorno segue indefinido devido os protocolos exigidos para esta faixa etária. Os professores, por exemplo, estão impedidos de pegarem no colo crianças que estiverem chorando, e as crianças devem manter distanciamento de dois metros entre elas. Também não podem trocar de brinquedos ou ocuparem o mesmo espaço antes de uma higienização do local.

“Isso torna praticamente inviável o cumprimento destas regras e o retorno presencial das creches agora”, diz o secretário. Ele ressalta que nenhum município da região adotou ou deve adotar medida diferente, o que foi definido pela região em assembleia geral dos prefeitos da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat) e dos secretários municipais de Educação. “A ideia é mantermos o atendimento não presencial, possivelmente até o fim de 2020”.

Cabe destacar ainda, que estes mesmos protocolos foram respeitados pelas escolas privadas do município , onde as crianças também estão sendo atendidas em turno parcial e em alguns dias da semana. No Ensino Fundamental, o município também adotará o protocolo do Estado, com retorno dos Anos Finais previsto para o dia 28 de outubro e Anos Iniciais em 12 de novembro. AI/NR

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui