Bares e restaurantes de Lajeado colocam faixas para chamar atenção de autoridades

Empresários pedem para que possam abrir seus estabelecimentos no período da noite


1
Estabelecimentos exibem faixa a fim de chamar atenção do Poder Público (Foto: Caroline Silva)

Além dos lojistas, os empresários do ramo alimentício de Lajeado também se uniram e criaram um movimento a partir de um grupo de WhatsApp. Os proprietários de bares e restaurantes buscam uma flexibilização para poderem atender de forma presencial durante a noite. Nesta semana, os mais de 20 estabelecimentos que fazem parte do movimento colocaram faixas em seus empreendimentos com a frase ”Se põem comida na mesa, é essencial” como forma de chamar atenção das autoridades.

O proprietário do Kikão Lanches, Stefano Collet, diz que neste período de portas fechadas precisou demitir mais da metade dos funcionários. “A primeira coisa que tu faz é reduzir equipe, nós éramos em torno de 25 pessoas e agora estamos em 10, reduziu mais que a metade. Ano passado tivemos um auxílio do governo federal, mas agora não foi feito nada”, lamenta.

Com a volta da cogestão, o restaurante pôde atender de forma presencial durante o dia, mas mesmo assim, conforme ele, é pouco. “Está bem complicado. Alguns restaurantes puderam voltar atender, mas alguns não podem abrir, como os pubs. Nosso faturamento é dividido, temos o do dia, da noite e do delivery”, explica.

O empresário fala que não é possível manter o negócio somente com as tele-entregas. “O delivery representa em torno de 20% do nosso faturamento. Sempre tivemos o delivery, mas como um bônus, e não conseguimos manter funcionários e impostos apenas com isso”, observa.

Na segunda-feira (22), o grupo se reuniu com o prefeito Marcelo Caumo e, na tarde desta quarta-feira (24), representantes do movimento se reuniram no Ministério Público de Lajeado a fim de buscar flexibilizações para os atendimentos. A classe pede que se possa atender de portas abertas, pelo menos, até as 21h.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

 

1 comentário

  1. SE PÕE LUCRO NO BOLSO, É EGOÍSMO! Não é o momento de restaurantes e bares estarem de portas abertas. São 300 MIL vidas perdidas para a COVID 19. Neste momento da pandemia, não, não e não!

    Sou simpatizante do lockdown e da vacinação para todos. Enquanto isso, cobrem do Governo Federal um fomento financeiro para seus negócios. Ele tem o dever de devolver em auxílio aos empreendedores a quantidade absurda de impostos e tributos que coleta.

    Enfim, vão entubar onde se faltar leito? Na cozinha do restaurante?!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui