Bilionário dos EUA que comprava peças de arte antiga roubadas é obrigado a devolver 180 objetos

Michael Steinhardt é um dos principais colecionadores de arte antiga do mundo. De acordo com o Ministério Público, as peças da coleção foram roubadas de 11 países diferentes


0
Michael Steinhardt durante palestra em 2008 (Foto: Brendan McDermid/Reuters)

O bilionário norte-americano Michael Steinhardt, um dos principais colecionadores de arte antiga do mundo, devolveu 180 objetos que têm, somados, valor estimado em US$ 70 milhões (cerca de R$ 400 milhões), de acordo com um comunicado de segunda-feira (6) do Ministério Público de Manhattan, nos Estados Unidos. Ele está proibido de adquirir outras peças de arte antiga.

A fortuna de Steinhardt é ligada a fundos de hedge, um tipo de fundo que investe em operações tidas como mais arriscadas. Steinhardt, de 81 anos, é de Nova York, e ele faz contribuições para a New York University e diversas entidades de filantropia ligadas à comunidade judaica da região.

Há uma galeria com seu nome no Metropolitan Museum of Art e um espaço com seu nome no Jardim Botânico do Brooklyn, um distrito de Nova York.

O Ministério Público e Steinhardt firmaram um acordo após quatro anos de investigações.

Descobriu-se que as peças foram roubadas de 11 países diferentes, e que havia 12 redes de tráfico de artigos antigos. As peças serão entregues aos seguintes países:

  • Bulgária,
  • Egito,
  • Grécia,
  • Iraque,
  • Israel,
  • Itália,
  • Jordânia,
  • Líbano,
  • Síria,
  • Turquia.

Os objetos apareceram no mercado de arte mesmo sem a documentação necessária, segundo os promotores.

“Durante décadas, Michael Steinhardt demonstrou um apetite voraz por artefatos roubados, sem se preocupar com a legalidade de suas aquisições, se as peças que comprou e vendeu eram legítimas e nem com os danos culturais que ele causou no mundo inteiro”, disse o promotor Cyrus Vance Jr.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui