Bolsonaro diz que irá restabelecer ”mais verdades” sobre vacina durante ”live”

Ministro da Saúde afirma que há seringas e agulhas suficientes para começar vacinação neste mês.


0
Foto: Fábio Rodrigues Pozebom / Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou pelo Twitter que durante a sua transmissão semanal prevista para as 19h desta quinta-feira irá restabelecer “mais verdades” sobre a vacina contra a Covid-19 no Brasil. Na publicação, Bolsonaro compartilha o pronunciamento do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, feito em rede nacional na noite de quarta-feira. Pressionado para fixar o início da imunização contra a Covid-19, o ministro afirmou ontem que há seringas, agulhas e vacinas suficientes para começar a campanha ainda neste mês. Nesta quinta-feira é esperado também que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), – e desafeto do presidente – anuncie dados sobre a eficácia da vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac. Há a expectativa também de que o Butantan dê entrada ao pedido na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso do imunizante. Fonte: Correio do Povo

RS tem 4,5 milhões de seringas em estoque para vacinação contra a Covid-19

Em vídeo divulgado na manhã desta quinta-feira, o governador Eduardo Leite e a diretora estadual do Centro de Vigilância em Saúde, Cíntia Goulart Molina, afirmaram que o Rio Grande do Sul está preparado para garantir a vacinação contra o novo coronavírus em 2021. Segundo eles, o Estado tem planos A, B e C para a imunização, além de já contar em estoque com 4,5 milhões de seringas. Eduardo Leite comentou que segue em contato constante com o Ministério da Saúde. Ele citou a assinatura da medida provisória que facilita a importação de um imunizante.Conforme o próprio Eduardo Leite, o Estado já abriu processo de compra para mais 10 milhões de unidades de vacinas. Fonte: Correio do Povo

OMS pede que Europa intensifique medidas contra pandemia da Covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu, nesta quinta-feira (7), que a Europa faça mais diante da “situação alarmante” criada pela nova variante mais contagiosa do coronavírus. “Esta é uma situação alarmante, o que significa que durante um curto período teremos que fazer mais do que fizemos”, disse o diretor da OMS para a Europa, Hans Kluge. Segundo ele, é preciso reforçar o uso de máscaras, limitar o número de reuniões sociais, respeitar o distanciamento físico, lavar as mãos, e combinar essas medidas com sistemas adequados de rastreamento, assim como isolar os pacientes. Fonte: G1

Aulas nas escolas estaduais serão retomadas a partir de 8 de março no RS

As aulas nas escolas estaduais serão retomadas a partir do dia 8 de março no Rio Grande do Sul, segundo informações da Secretaria Estadual de Educação (Seduc). As escolas têm até 31 de janeiro para terminar o ano letivo de 2020, que passou por mudanças devido à pandemia de coronavírus. O calendário prevê que no dia 8 de março voltem os alunos do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano). No dia 11, os alunos do 6º ao 9º ano retomam as atividades. E, no dia 15, os do Ensino Médio e Técnico. No mês de fevereiro, as escolas estarão fechadas. Conforme a Seduc, as aulas serão presenciais, com ocupação de até 50% das salas. Cada escola vai precisar elaborar um plano de escalonamento. A retomada das aulas também prevê o ensino híbrido, com turmas intercalando aulas presenciais e remotas, em dias diferentes ou semanas alternadas. Fonte: G1 RS

Bolsonaro: ‘Sem voto impresso, teremos mais problemas que EUA’

O presidente Jair Bolsonaro reforçou nesta quinta-feira (7) o discurso do colega norte-americano Donald Trump dizendo que houve fraude na eleição dos Estados Unidos. E deixou no ar uma análise preocupante: “Se nós não tivermos voto impresso em 2022, vamos ter problemas maiores que os Estados Unidos”. Sem apresentar provas, Bolsonaro enumerou supostas irregularidades no processo eleitoral americano. “Houve gente que votou três, quatro vezes, mortos votaram, foi uma festa lá, ninguém pode negar isso aí”, disse Bolsonaro a apoiadores na frente do Palácio da Alvorada. Fonte: R7.COM

Covid-19: farmacêutica Moderna diz que vacina protegerá por 2 anos

A vacina da Moderna contra covid-19 deve oferecer proteção por até dois anos, disse o presidente-executivo da empresa nesta quinta-feira (7), embora mais dados sejam necessários para se fazer uma avaliação definitiva. A empresa norte-americana de biotecnologia, que surpreendeu o mundo no ano passado ao desenvolver uma vacina contra o coronavírus em apenas algumas semanas, recebeu aprovação para imunizante da União Europeia na quarta-feira (6). Dado que o desenvolvimento de vacinas geralmente requer anos, a duração da proteção dada pelos imunizantes contra a covid-19 é uma questão recorrente entre cientistas e membros de órgãos reguladores.

CoronaVac tem 78% de eficácia em pesquisa no Brasil

O tão aguardado anúncio final da CoronaVac enfim foi revelado. A vacina, que é produzida pela fabricante chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, apresentou 78% de eficácia nos testes feitos em mais de 13.000 pessoas no Brasil. A informação foi confirmada pelo governo de São Paulo. Com esse dado, o Instituto Butantan já pode pedir o registro emergencial da vacina à Anvisa, o que deve ocorrer ainda nesta quinta-feira, dia 07. Antes, o Instituto já havia comprovado que a vacina é segura – ou seja, que não provocou nenhum efeito adverso entre os voluntários. Fonte: VEJA

Produção e apresentação: Caroline Silva
Próxima edição: hoje, às 18h

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui