Bombeiros da região atendem mais de dois incêndios florestais por dia

Aumento no número de casos é percebido em razão da estiagem


0
Sargento Borges, do Corpo de Bombeiros de Lajeado (Foto: Artur Dullius)

Mais de 120 incêndios florestais já foram registrados em municípios da região desde o início do mês de novembro. O aumento no número de casos é percebido especialmente em razão da estiagem. Os dados apontam uma média superior a dois incêndios deste tipo por dia. Até aqui, metade dos atendimentos aconteceram em Lajeado.


OUÇA A REPORTAGEM 


Conforme o sargento Borges, do Corpo de Bombeiros de Lajeado, a corporação já recebeu 92 chamados desde o dia 1º de novembro. Destes, 60 foram registrados no município de Lajeado. “A gente tem notado um grande aumento nas ocorrências de incêndio em vegetação. O pessoal, no intuito de querer limpar o pátio, vai lá e coloca fogo. Importante lembrar que isto é um crime ambiental previsto no código penal”, explica.

Recentemente, no último final de semana, um incêndio florestal atingiu uma área de 8 hectares em Bom Retiro do Sul. A situação foi controlada pelos Bombeiros de Estrela, que já atenderam outros 19 casos deste tipo em novembro e ao menos 10 fogos em mato durante o mês de dezembro.

“A primeira dica é não colocar fogo em lixo, entulho ou vegetação, mesmo que seja no seu pátio. Está tudo muito seco. A mínima faísca já é o suficiente para começar um incêndio e depois fica muito fácil de se perder o controle. Ele pode se alastrar e atingir até mesmo imóveis nas proximidades. O fogo se faz na churrasqueira ou em um tonel”, alerta o sargento.

Segundo ele, a atenção precisa ser ainda maior nós próximos dias, durante a virada de ano. Ao fazer o uso de fogos de artifício, o ideal é procurar por locais mais aberto e manter o olhar atento para o ponto em que o foguete cair, observando possíveis consequências. “Além do fogo em mato que pode ser ocasionado pela utilização dos fogos de artifício, existe o risco de acidente. Tanto de quem está operando, como de quem está próximo a estes fogos”, afirma.

Texto: Artur Dullius
reporter@independete.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui