Brasil aceita doação do COI e vai vacinar delegação das Olimpíadas

Confira as informações do programa Correspondente Independente do meio-dia


0

O Governo federal vai vacinar os membros da delegação brasileira que irão ao Japão para a cobertura das Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio. A decisão é do Ministério da Saúde em conjunto com o Ministério da Defesa e o Comitê Olímpico do Brasil. O país decidiu aceitar a ajuda do Comitê Olímpico Internacional. Com isso, cerca de 1500 pessoas – entre atletas, membros de comissão técnica e jornalistas envolvidos na cobertura – entrarão no grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização (PNI). As vacinas vão ser cedidas pelo COI e não vão sair das doses obtidas pelo Governo Federal para imunizar a população. E para cada dose cedida para imunizar a delegação brasileira que vai para as Olimpíadas, o COI vai doar outras duas ao SUS para vacinar os brasileiros. Mais detalhes do plano de vacinação da delegação serão anunciados nesta terça-feira, às 11h30, em uma coletiva no Ministério da Saúde, em Brasília. G1


OUÇA O PROGRAMA 


Noite de bombardeios israelenses e lançamento de foguetes termina com ao menos 26 mortos em Gaza

Ao menos 26 palestinos, incluindo nove crianças, morreram na madrugada desta terça-feira (11) em bombardeios de Israel em Gaza em resposta aos foguetes lançados por organizações armadas palestinas. Outras 106 pessoas ficaram feridas na Faixa de Gaza, território palestino controlado pelo movimento islamita Hamas, informaram as autoridades de saúde locais. Em Israel, duas pessoas morreram.

Fábrica clandestina de produção e falsificação de sabão líquido para roupas é fechada em Canoas

Uma fábrica clandestina de produção e falsificação de sabão líquido para roupas da conhecida marca Omo foi fechada na manhã desta terça-feira pela Polícia Civil em Canoas. A operação foi coordenada pela Delegacia do Consumidor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Houve o cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão em Canoas, Campo Bom e Porto Alegre. No bairro Niterói, em Canoas, os agentes localizaram então a fábrica clandestina. Os policiais civis apreenderam litros do produto falsificado, insumos, embalagens, rótulos e documentos, entre outros. Quatro veículos, incluindo um caminhão e uma van, foram também recolhidos. A equipe da Delegacia do Consumidor constatou que a empresa ilegal estava produzindo até 25 mil litros de sabão líquido por semana. O produto era totalmente clandestino e sem qualquer autorização dos órgãos competentes, além de ser envasado fraudulentamente em frascos com a marca Omo. Correio do Povo

Ministro da Educação receberá medalha na Assembleia Legislativa

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, receberá nesta quarta-feira a medalha da 55ª Legislatura da Assembleia Legislativa. A indicação da honraria foi feita pelo deputado estadual tenente-coronel Zucco. A cerimônia ocorrerá no Auditório Dante Barone. Conforme Zucco, a homenagem será entregue em reconhecimento ao trabalho de Ribeiro para a instalação de escolas do modelo cívico-militar em solo gaúcho. “É um modelo cujo sucesso pode ser constatado em todos os lugares onde foi adotado. É uma reivindicação de milhares de famílias gaúchas”, disse o parlamentar. A implantação do modelo cívico-militar no Rio Grande do Sul partiu de uma lei criada por Zucco. Correio do Povo

Após recomendação da Anvisa, Estados e prefeituras mudam vacinação de grávidas

Estados e prefeituras alteraram o esquema de vacinação de grávidas após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendar, na noite de segunda-feira (10), a suspensão imediata do uso do imunizante da Astrazeneca nesse grupo de pessoas. A recomendação não afeta algumas capitais, como Manaus e Macapá, que imunizam grávidas com a vacina da Pfizer. Em outros locais, como o estado do Rio de Janeiro, a suspensão é completa para todas as grávidas e inclui as vacinas CoronaVac e Pfizer (junto da AstraZeneca, os três imunizantes contra a Covid disponíveis no Brasil).
A AstraZeneca diz que grávidas e puérperas foram excluídas dos estudos clínicos e, em animais, os testes “não indicam efeitos prejudiciais diretos ou indiretos” na gravidez ou no desenvolvimento fetal. No Rio Grande do Sul houve alteração para grávidas em todo o estado. G1


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui