Brasil receberia 18,5 milhões de doses da Pfizer até junho de 2021

O cronograma da empresa sugeria sempre cinco prazos para a entrega dos lotes


0

O gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, explicou nesta quinta-feira, na CPI da Covid, que foram feitas três ofertas seguidas ao Brasil em agosto de 2020 (dias 14, 18 e 26) para o início da entrega de seu imunizante já no ano passado.

O laboratório sugeria ao Ministério da Saúde sempre duas possibilidades: 30 milhões ou 70 milhões de doses. De acordo com ele, as quantidades prometidas por período foram mudando a cada nova oferta. A terceira proposta garantiria ao Brasil 18,5 milhões de doses até junho de 2021, fim do segundo trimestre. Em relação somente às propostas de 70 milhões de doses, o cronograma da empresa sugeria sempre cinco prazos para a entrega dos lotes.

Na proposta de 14 de agosto, a Pfizer oferecia entregar 500 mil doses ainda em 2020 ao país, 1,5 milhão para o primeiro trimestre de 2021, 5 milhões para o segundo, 33 milhões para o terceiro e 30 milhões nos últimos três meses deste ano. Na segunda oferta, no dia 18, seriam 1,5 milhão de vacinas em 2020, 1,5 milhão no primeiro trimestre, 5 milhões no segundo, 33 milhões no terceiro e 29 milhões no quarto. Na terceira proposta, do dia 26, 1,5 milhão em 2020, 3 milhões de doses nos primeiros três meses de 2021, 14 milhões no segundo trimestre, 26,5 milhões no terceiro e 25 milhões no final de 2021.

Carlos Murillo explicou ainda que em 11 de novembro foi atualizada a oferta de 70 milhões, mas mudou-se o cronograma. Seriam entregues ao Brasil 2 milhões de imunizantes no primeiro trimestre, 6,5 milhões no segundo, 32 milhões no terceiro e 29,5 milhões no quarto.

Fonte: Correio do Povo


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui