Cacis de Estrela estuda agregar o agronegócio à entidade

Proposta para a criação da vice-presidência do Agronegócio será apresentada à diretoria e, posteriormente, deverá ser aprovada em assembleia


0
Foto: Édson Luís Schaeffer/Divulgação

Com o intuito de somar forças e oferecer soluções também ao setor primário, a Câmara de Comércio, Indústria e Serviços (Cacis) de Estrela está estudando a possibilidade de agregar o agronegócio à entidade. A proposta para criar a vice-presidência do Agronegócio será apresentada, nos próximos dias, à diretoria da entidade e, posteriormente, será submetida à aprovação em assembleia, tendo em vista a alteração estatutária.

A possibilidade já foi levantada em gestões anteriores da Cacis e, após vários encontros com entidades ligadas ao setor primário, dentre elas Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Emater/RS-Ascar, Secretaria de Agricultura e União dos Produtores Feirantes, se entendeu que criar a pasta do agro junto à entidade seria importante para o fortalecimento do setor no município. Hoje, o setor primário representa em torno de 30% do orçamento de Estrela.

Na reunião desta segunda-feira (7), foram ajustados detalhes da nova pasta, antes da apresentação da mesma à diretoria, o que deve ocorrer na próxima semana. Se aprovada em assembléia, a vice-presidência do Agronegócio deve ficar sob responsabilidade do ex-presidente da Cacis, Pedro Barth, que em sua gestão já cogitava trazer o agro à entidade. Já os quatro diretores da pasta estão em fase de definição, mas serão nomes ligados ao setor primário.

Dentre os objetivos da nova pasta estão, juntamente com as demais entidades, pensar em ações voltadas ao agro, como eventos e capacitações, bem como buscar soluções aos problemas que o setor enfrenta, como a recente demora no restabelecimento de energia elétrica. A intenção também é dar oportunidade aos empreendedores rurais mostrarem os seus cases e novidades do setor em eventos da Cacis, bem como facilitar, ainda mais, a participação do setor primário na Estrela Multifeira.

Pedro Barth enalteceu que não se trata de mais uma entidade voltada para o agro, mas, sim, mais uma força que, junto com as demais representatividades, irá alavancar o setor primário.  “Vamos ao encontro do que o agro precisa e buscar soluções. O agro está crescendo cada vez mais e virou empresa. Então, nosso objetivo é somar forças com o setor”, frisou.

Se aprovada a criação da nova pasta, a Cacis também irá alterar a sua nomenclatura, agregando o agronegócio. Assim, a nova denominação passará a ser Câmara de Comércio, Indústria, Serviços e Agronegócio. Já a sigla da entidade passará de Cacis para Cacisa.

A presidente da Cacis, Andreia Zwirtes Kich, colocou que a iniciativa de agregar o agro representa um marco para Estrela e para o Vale do Taquari, tendo em vista que são poucas as entidades empresariais da região que também contemplam o setor primário. “Estamos atendendo a um sonho antigo e, ao trazer o agro para junto da Cacis, vamos fortalecer ainda mais este setor, com a união de esforços buscando soluções, inovações e oportunidades”, sublinhou. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui