“Cada um pensa o que quer, mas para julgar, só Deus”, afirma Traudi, a Loira da Bicicleta

Traudi Klein, de 55 anos, é a mulher por trás do personagem folclórico do Vale do Taquari. No quadro "Sem Preconceito", ela fala sobre o período como garota de programa e a atuação como recicladora e ativista pela causa animal.


12
Foto: Tiago Silva

No quadro “Sem Preconceito”, os apresentadores do ‘Panorama’ Fabiano Conte e Aline Silva conversaram nesta sexta-feira (22) com a Traudi Klein. Ela é a criadora da icônica personagem da cultura popular do Vale do Taquari “Loira da Bicicleta”, ex-garota de programa e atualmente recicladora e ativista pela causa animal. Klein tem 55 anos, é de Porto Alegre e reside na região, em Lajeado ou Estrela, há mais de 40 anos. A mulher explica que veio para a região em função do trabalho da mãe.


ouça a entrevista

 


 

O apelido de “Loira da Bicicleta” surgiu em função de seu hábito diário de pedalar. Conforme ela, eram trajetos de 40 a 50 quilômetros por dia, todos os dias. Os trajes curtos e sensuais, somado à frequência com que circulava pela região, começaram a chamar atenção, e Tradi virou tema de reportagens em jornais locais. Ela diz que andar de bicicleta era uma terapia.

Para aumentar os seus rendimentos, Traudi teve a ideia de alugar uma casa noturna para colocar algumas meninas para trabalharem como garotas de programa. Só que elas não vieram, e para custear o espaço, ela mesmo resolveu entrar para o ramo da prostituição. Com medo, a mulher diz que tinha receio de que encostassem nela no início.

Após a novidade se espalhar, os clientes que vinham duvidavam que era mesmo a personagem da bicicleta. A loira teve que aguentar uma série de provocações. “Eu escutava piadinhas: ‘ah, eu sabia que tu não andava só de bicicleta’. Mas na época, em 2005, eu andava só de bicicleta”, garante. Traudi rebate o pensamento de que “é vida fácil” ser garota de programa. “Não é nada de vida fácil não”, afirma. “Tu te submete a alguns caprichos e fetiches do cliente pelo dinheiro”, lembra.

Ela saiu desse ramo quando o amor pelos animais falou mais alto, pois a escolha era entre fazer programas e se dedicar à personagem da Loira da Bicicleta, ou então ter os cães que tanto gostava. “Animais é um amor que eu tenho desde a adolescência”, pontua.

Hoje recicladora, Traudi mora em uma casa alugada no Bairro São Bento. Ao longo do anos, ela diz que já conseguiu resgatar mais de 500 animais de rua, medicar e castrar, processo que consegue por meio do cadastro único na Prefeitura de Lajeado.

Antes de se mudar para a sua atual residência, Traudi teve oposição da vizinhança. Um abaixo-assinado foi organizado, e 49 assinaturas foram colhidas. “Ouviram dizer que eu ia morar ali naquela casa, a Loira da Bicicleta, e que eu ia fazer um canil municipal com 100 cães”, recorda, sobre os boatos na época.

Traudi tem uma filha de 33 anos, que mora na Serra Gaúcha. Com a saúde debilitada, a mulher que ficou conhecida como “Loira da Bicicleta” sofre de depressão e síndrome do pânico. Para ela, os cães que resgata da rua e cuida a ajudam a ficar de pé e enfrentar os problemas e o preconceito. “Cada um pensa o que quer, mas para julgar, só Deus.”

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

12 Comentários

  1. Parabéns a independente ” por fazer este tipo de reportagem .conheço a Traid é uma pessoa maravilhosa com um coração maior que ela mesma .tambem passei muitas por ela quando eu viajava .

  2. Para as pessoas é fácil julgar e tem pessoas que vivem só pra julgar os outros. Cada um com sua vida , e deixa os outros viverem como gostam e querem. A escolha é de cada um.

  3. Se andar de bicicleta era algo como hobby, por que usar fio dental? Qualquer mulher sabe que chama atenção dos homens. E depois abrir uma casa de prostituição? Com tantos tipos de serviços por aí…Fala então que tinha um feeling pro erotismo desde a época da bicicleta, o que não é nada absurdo…mas falar como se fosse a única saída da vida dela? Fábrica de calçados e frigorífico já teria contratado.
    ..

  4. Se andar de bicicleta era algo como hobby, por que usar fio dental? Qualquer mulher sabe que chama atenção dos homens. E depois abrir uma casa de prostituição? Com tantos tipos de serviços por aí…Fala então que tinha um feeling pro erotismo desde a época da bicicleta, o que não é nada absurdo…mas falar como se fosse a única saída da vida dela? Fábrica de calçados e frigorífico já teria contratado.
    ..

  5. Ser humano e complicado,muitos apontam o dedo ,mas poucos estendem a mão,ela encontrou o carinho dos animais,no que muitas vezes não encontra nos humano.

  6. Conheci a Traude andando de bicicleta e tive a oportunidade de conhecê-la quando era agente de saúde, é uma pessoa cheia de energia e muito inteligente. Em minhas visitas tive a oportunidade de conhecer um pouco da sua vida. Sempre me recebia bem. Acho triste que ainda existem pessoas que julgam sem conhecer a realidade do outro.

  7. A mulher que vende o corpo, é considerada prostituta. No entanto, essa é a profissão mais antiga do mundo. Nao entendo como ainda essas pessoas sao condenadas\julgadas.
    Logo entao temos que condenar quem frequenta estes locais. Certo?

  8. Julgar é para Deus cada um que Julga deveria ir em frente o espelho se olhar e perguntar para a pessoa que reflete ali qual o teu pecado por que ninguem melhor que nos para saber o que fizemos de errado e todos erramos mentir para os outros é facil dificil encarar o espelho. Como jesus falou quem não tem pecado atire a primeira pedra

  9. Admiro muito a Traudi, tem um coração gigante, uma pessoa linda que só com metade dos cães que já ajudou, fez mais pelo mundo que a maioria dos seres humanos. Inclusive eu. Sua história sei, é difícil de viver né Traudi, mas é o preço que a vida te cobra para nós ensinar a sermos mais humanos. Conversamos uma única vez, eu saí de lá me senti pequeno por viver só pra mim. E achando você uma gigante. Deus deve ter muito orgulho de você. Bjs e levante a cabeça.

  10. Olha que e inteligente. E sim.. Ja esta se encaminhando para proxima vereadora mais votada de Lajeado.. Mais enfim nao julgo o que ela fazia .. Pois as prostitutas travestis que estao nuas. Hoje em plena luz do dia nas ruas de acesso a Lajeado .. Ela pelo menos nao era tao explicita .. Hoje temos um governo que nao faz nada a respeito do sexo explicito que rola na rua pra toda a familia assistir.. Sinto vergonha de passar na rua com minha filha de 5 anos anos e ela me perguntar o que sao aquelas mocas.. Peladas.. E horrivel ninguem faz nada.. . a Moca da Bici.. ai vai ser mais uma a favor das meninas da avenida quando eleita pelo povo lajeadense

  11. Parabens .. Personagem folclorico..kkk sera a proxima vereadora mais votada da cidade da prostituicao que esta se tornando Lajeado.. Pensei q o saci fosse personagem folclorico..kkkk

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui