Cadastro do SUS mostra que mulher da Paraíba teria sido vacinada em Lajeado

Walnísia Vieira, de 39 anos, que não está no grupo prioritários do plano de vacinação, diz que nunca esteve em Lajeado e procurou ajuda da Rádio Independente


1
Walnísia Vieira tem 39 anos e não faz parte do grupo prioritário de vacinação (Foto: Arquivo pessoal/divulgação)

Uma moradora de Campina Grande, na Paraíba, Walnísia Vieira, de 39 anos, procurou ajuda da Rádio Independente nesta quinta-feira (20) após verificar que no cadastro do Sistema Único de Saúde (SUS) consta que ela teria recebido a vacina contra a Covid-19 CoronaVac na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Bairro Montanha, em Lajeado.

Foto: Governo

A mulher, que não faz parte do grupo prioritário de vacinação, diz que de imediato buscou a Secretaria Municipal de Saúde de Lajeado para saber o que estava acontecendo. “Verifiquei que aparecia que já havia sido aplicada as duas doses da CoronaVac, então vi o local de vacinação e entrei em contato com a secretaria de Saúde, porque são todos meus dados, nome, CPF, data de nascimento, e isso me deixou assustada”, conta.

Walnísia comenta que tem medo de ser impedida de receber a imunização quando chegar sua vez devido a esse ocorrido. Segundo ela, logo após o dia 7 de abril iniciou os tramites, mas mesmo assim a pessoa que teria se vacinado com seu número do cartão SUS em Lajeado, recebeu a segunda dose em maio.

“Verifiquei isso no dia 7 de abril e logo entrei em contato a prefeitura de Lajeado e fiz as denúncias, mas para minha surpresa, a pessoa conseguiu tomar a segunda dose no dia 11 de maio”, relata.

 

Prefeitura diz que ajuste depende do Ministério da Saúde

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Lajeado, Juliana Demarchi, explica que a troca de cadastros ocorreu devido os cartões do SUS serem fornecidos de forma manual em 2004. “Esses cartões não eram cadastrados na base federal. A vacina é vinculada e a exportação dela se dá em cima do número do cartão. Então, um usuário nosso aplicou a vacina e nessa exportação da vacina para o ministério, o número do cadastro acabou vinculando a essa pessoa”, esclarece.

Conforme a coordenadora, o município já reportou a situação ao Ministério da Saúde. “A gente já identificou esse problema, e já reportamos essa situação para o Ministério da Saúde para excluir a vacina no nome dessa paciente. Agora não depende do município, e sim do Ministério da Saúde para fazer essa alteração”, ressalta.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

1 comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui