Um grupo de lojistas de Estrela reivindica mais segurança nos estabelecimentos comerciais e nas ruas da cidade. O pedido foi feito durante a sessão da Câmara de Vereadores desta segunda-feira (15). Assaltos registrados nos últimos dias preocupam os empresários, que têm lojas na região central. Eles solicitam a instalação de câmeras de videomonitoramento e reforço no efetivo da Brigada Militar (BM).

A reclamação dos negociantes foi apresentada pelo vereador João Braun (PP), que disse concordar com o grupo. Cogitado desde 2014, o projeto para a instalação de aparelhos de monitoramento ainda não saiu do papel. “Concordo com vocês, de que está muito demorado para que tenhamos uma resposta sobre as câmeras. Nós (vereadores) vamos tentar que seja feito o quanto antes”, garantiu.

Disposto a averiguar o que impede a execução do projeto, Darlã Bellini (PSB) lembrou que no mês de janeiro protocolou um pedido de informações acerca da iniciativa. “Acredito que a licitação ainda não tenha sido lançada”, estima.

Líder de governo na casa, Marco Aurélio Wermann (PV) disse que a falta de recursos impede a instalação dos equipamentos. “Parou pela questão financeira, o que não é vergonhoso. Pergunto: qual município não enfrenta dificudades?”, questiona.

Recentemente ocorreu uma reunião entre a prefeitura e o governo gaúcho, com o objetivo de debater o direcionamento das imagens que seriam captadas em Estrela. Há a possibilidade de serem enviadas para Lajeado, visto que a cidade dispõe de uma sala de monitoramento.

Há cerca de um mês, a Câmara de Estrela encaminhou um pedido de moção ao governador Sartori, em que pede a liberação de horas extras para os militares  reforço no efetivo da corporação. Uma resposta ainda é esperada pela casa.

Na sessão da próxima segunda-feira (22), será lembrado o aniversário de 141 anos de Estrela, comemorados em 20 de maio, e a realização do 52º Festival do Chucrute. O encontro começa às 18h30, tendo por local o plenário Bento Rodrigues da Rosa.

Projeto aprovado

Apenas um projeto de lei estava na Ordem do Dia, sendo aprovado por unanimidade. Trata-se da denominação da rua sem nome, em Linha São Luis, de Estrada Municipal Ignácio Edgar Schneider. O autor da proposta, Márcio Mallmann (PP), explica que a ideia é “homenagear um que perdeu a mulher cedo, mas que assumiu o papel de mãe na criação dos filhos”.

Tribuna livre
Antecedendo a sessão, representantes do SEST/SENAT utilizaram a tribuna para apresentar a iniciativa Maio Amarelo: Atenção pela Vida. O conjunto de ações tem por objetivo reduzir os acidentes de trânsito no Brasil. Esta edição se volta ao uso do aparelho celular pelos motoristas. Conforme Ederson Carvalho Rodrigues, o país registrou 330 mil acidentes de trânsito em 2016, com 50 mil vítimas fatais. NR

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui