Câmara de Estrela retoma sessões presenciais

Vereadores debatem alternativas aos desdobramentos da pandemia.


0

Após pausa de duas semanas, a Câmara de Vereadores de Estrela retomou, nesta segunda-feira (6), as sessões presenciais, em sua sede, na Rua Doutor Tostes nº 51, no Centro da cidade.

Por outro lado, o encontro foi fechado para o público, como forma de prevenção à disseminação do novo coronavírus. Os vereadores aproveitaram a ausência de plateia e se dispersaram pelo plenário, para respeitar a recomendação de afastamento pessoal. A pandemia foi tema preferencial dos pronunciamentos.

Débora Martins (Republicanos).

De máscara, a vereadora Débora Martins (Republicanos), falou sobre a importância do item para evitar a propagação do vírus. “Muitos de nós pode ser assintomáticos, ou seja, possuir o vírus e não saber, e assim, transmiti-lo. Com o uso da máscara, a disseminação do vírus é menor”, comentou.

De volta à casa para concorrer a reeleição, o ex-titular da Secretaria do Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação (Sedesth), José Itamar Alves (Republicanos), defendeu a retomada da atividade econômica. “Se continuar assim no estado e nos municípios, a quebradeira vai ser grande. As pessoas não vão morrer de coronavírus: vão morrer de fome. Já distribuímos centenas de cestas básicas na Sedesth para pessoas que estão sem renda”, disse.

José Alves (Republicanos).

Ernane de Castro (MDB) vê a medida com ressalvas, e prevê a falência do sistema público de saúde. “Minha preocupação é a saúde. A pandemia está vindo para cá aos poucos. Se for liberar (o comércio) geral como vai ficar nossa saúde se acontecer o pior como em outros países? Vai faltar leitos no sistema de saúde”, argumentou.

Deram entrada e foram baixados para as comissões, os projetos que diminuem os salários dos agentes públicos a partir 2021. O percentual de redução proposto para prefeito, vice-prefeito e vereadores é de 20%. Os secretários municipais não foram incluídos no projeto, e o valor de seus salários permanecem os mesmos. A economia projetada com a medida é de R$ 1,3 milhão por ano. A expectativa é de que as matérias sejam analisadas em plenário dentro de duas semanas.

Trocas de partido

Aproveitando a janela eleitoral, alguns vereadores trocaram de partido. O Republicanos agora é a maior bancada do legislativo com três cadeiras. O partido conta com José Itamar Alves, Débora Martins e Marcelo Braun, que deixaram PTB, MDB e PSDB, respectivamente. Volnei Zancanaro saiu do PL e foi para o PSL. Darlã Bellini migrou do PSB para o PSD. Por fim, Élio Kunzler, que estava no PTB, agora representa o PV. LF.

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui