Câmara fixa salários de vereadores, prefeito, vice e secretários

Aumento da vida útil de van escolar também foi debatido pelos parlamentares


0
Parlamentares aprovaram dois projetos na sessão desta terça (Foto: Caroline Silva)

Na sessão desta terça-feira (03) foi aprovado por parte dos vereadores o projeto de lei que fixa a remuneração dos parlamantes do município, de R$ 7.799,03, para a legislatura 2021/2024 e dá outras providências. Foram contra os vereadores Paulo Tori (MDB), Marquinhos Schefer (MDB) e Sérgio Rambo (PT). Também foram aprovados, e esses com unanimidade, os projetos de lei sobre o salário mensal do prefeito, de R$ 24.298,44, e do vice-prefeito, de R$ 10.085,34, e dos secretários municipais, de R$ 12.149,22, para a legislatura 2021/2024. Os salários tiveram aumento em março de 2019 e agora permanecem no mesmo valor por mais quatro anos.

Sérgio Kniphoff (PT) lamentou a possibilidade de privatização do Sistema Único de Saúde (SUS) e sugeriu que um requerimento seja assinado por todos os parlamentares e enviado a todas as Câmaras de Vereadores do Estado, sendo contra a possível decisão do Governo Federal. Mariela Portz (PSDB) retirou a assinatura do documento, e Carlos Ranzi (MDB) pediu visto para a próxima sessão. Conforme ele, seria contraditório, já que a Câmara aprovou, em 2019, um projeto do Executivo que firma convênio com a Univates para a manutenção da Unidade Básica de Saúde (UBS) Universidade.

Fabiano Bergmann, o Medonho, (PP), solicitou a instalação de uma faixa de elevada na Rua Zeno Schmatz, próximo a pracinha no Bairro Bom Pastor, e outra na Rua Venâncio Aires, no começo do Bairro Igrejinha. Na oportunidade, ele elogiou o atendimento do Pronto Atendimento (PA).

Fiscaliza Lajeado

Mariela utilizou seu espaço para afirmar que o assessor do vereador Kniphoff, seria o idealizador da página no Facebook Fiscaliza Lajeado. Ela disse que foi atacada durante quatro anos com fake-news no perfil mencionado. Em contrapartida, o parlamentar se defendeu e disse que não sabia que seu assistente estava envolvido com página. Lorival Silveira (PP), presidente da Câmara, disse que não tem conhecimento sobre o caso, mas que será avaliado. Ildo Salvi (PSDB) disse que é uma denúncia grave e que deve ser averiguado.

Saúde

Lorival pediu o envio de ofício ao presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, Ernani Polo, para que intervenha junto ao Ministério da Saúde, para que Lajeado seja contemplado com médicos do Programa Federal “Mais Médicos”. Segundo ele, alguns profissionais residem e desejam permanecer no município.

Waldir Blau (MDB) criticou o SUS de Lajeado pela demora nas cirurgias. Ele mencionou o caso de uma idosa que estaria há 10 anos na fila de espera. Conforme o parlamentar, é preciso lutar pela melhoria, já que pessoas sofrem com essa demora. Ranzi lembrou que houve um tempo em que eram 12 mil pessoas na espera por uma cirurgia no munícipio. Eder Spohr (MDB) também falou sobre precariedades na saúde. Ele disse que tem conhecimento de pessoas que esperam por oito anos por um procedimento cirúrgico.

Van escolar

A Câmara de Vereadores decidiu na sessão desta terça-feira enviar um requerimento a Secretaria Municipal da Segurança Pública, Trânsito e a Secretaria da Administração para estudarem a possibilidade de alterar a lei de vida útil do veículo de transporte escolar. Atualmente é fixada em 15 anos a partir do ano da sua fabricação. A sugestão é aumentar para 17 anos. Rambo diz que a classe das vans sofreu com a pandemia, estando parada há sete meses. Segundo ele, estendendo o prazo em dois anos não afetaria os usuários.

Na oportunidade, Rambo solicitou o envio de ofício ao Fórum das Entidades de Lajeado, para que faça um Plebiscito deliberando sobre liberdade Econômica, para debater sobre a abertura de comércio aos domingos. Conforme o vereador, seria a decisão mais democrática.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui