Câmeras de vigilância podem ajudar polícia a identificar veículo que atropelou criança em Lajeado

Vítima de 1 ano e 11 meses morreu após ser atropelada na área central da cidade por volta das 20h do último sábado (19), na Rua Silva Jardim


4
Imagem de uma câmara de segurança obtida pela Brigada Militar (Foto: Divulgação)

A Brigada Militar e a Polícia Civil de Lajeado trabalham para tentar identificar a placa do veículo que atropelou e matou uma criança de 1 ano e 11 meses de idade na noite do último sábado (19). O fato ocorreu na Rua Silva Jardim, na área central da cidade. Através de câmeras de vigilância, com auxílio de empresas próximas ao local, a polícia tenta descobrir o modelo do carro e através disso chegar ao motorista que conduzia o veículo e não parou no local, conforme explica o comandante do 22º Batalhão de Polícia Militar de Lajeado, major Fábio Kuhn.

“Temos algumas imagens que buscamos logo após o caso, mas elas não são nítidas o suficiente para identificar o carro. Inclusive, pedimos para comunidade e empresas, que se tiverem imagens que possam auxiliar, que procurem a polícia”, relata.


ouça a reportagem

 


Algumas hipóteses sobre a característica do automóvel já estão sendo analisadas pela polícia. “Ou é um Peugeot ou é um Ford Fiesta branco, pelo o que percebemos, mas são suposições, estamos tentando algum outro dado para chegar na placa”, reforça o comandante. A família da criança mora nas proximidades do local, mas ninguém teria visualizado o momento do acidente. “No dia o pessoal que atendeu a ocorrência conversou com os pais, eles chegaram depois, só perceberam a falta da criança em casa e quando foram olhar ela já estava ali”, explica o major. A guarnição encaminhou a vítima com vida para atendimento hospitalar, mas a criança não resistiu aos ferimentos e faleceu. “Ainda estava com vida mas em estado grave, muito grave”, completa.

Por se tratar de uma área central da cidade, o comandante diz que é difícil ter uma conclusão neste momento sobre a velocidade que estava o veículo. “Não me pareceu estar em alta velocidade, deveria ser uma velocidade normal para via urbana”, pondera. Após identificação do veículo e do motorista que estava conduzindo o carro no momento do acidente, a Polícia Civil seguirá com a investigação. “Teremos que chamar o proprietário, pois nem sempre ele é o condutor, então tudo isso, após a identificação será feita uma investigação”, relata o major.

O reforço do pedido por parte do comandante fica para colaboração da população com imagens para que seja possível a identificação da placa. “Contamos com moradores da volta e estabelecimentos que puderem contribuir por favor nos avisem”.

Novo comando do 22º Batalhão de Polícia Militar

Na tarde da última quinta-feira (17), ocorreu a solenidade de passagem de comando do 22º Batalhão de Polícia Militar. A função era ocupada pelo tenente-coronel Marcelo de Abreu Fernandes desde junho de 2019. Ele que tem 28 anos de carreira, passou a função para o major Fábio Kuhn, natural de Arroio do Meio, que atuava como chefe de Operações e Inteligência do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Taquari (CRPO-VT).

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

 

4 Comentários

  1. Chovendo, rua escura, vidros fechados. Ele pode nem ter percebido, pois parece um choque lateral. Um barulho abafado que se confunde com passar a roda sobre um buraco. Não podem julgar a pessoa. Já a família por negligência sim.

  2. Concordo com o Joel, o motorista pode nem ter percebido o que fez na hora. Mas claro que depois dessas notícias o certo era ele se entregar e prestar o depoimento correto neh?

  3. TODO MUNDO FALANDO DO MOTORISTA IRRESPONSAVEL, ( GENTE….AS X O CARA NEM VIU)…MAS E A FAMILIA DA CRIANCA???? COMO ELA VAI PRA RUA SOZINHA E NINGUEM SABE DE NADA!!!! TINHA QUE PRENDER OS PAIS DESSA POBRE CRIANCA

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui