Campanha busca doadores de sangue para jovem lajeadense vítima de infecção cerebral

Há mais de um mês na UTI do HBB com infecção encefálica, Roger Noll (19) precisa de sangue do tipo O+


0
Roger Noll (Foto: Arquivo pessoal)

Internado há mais de um mês na UTI do Hospital Bruno Born (HBB) de Lajeado, o jovem Roger Noll (19) precisa de doadores de sangue. Amigos e familiares do morador do Bairro Morro 25 deflagraram uma campanha para captar doadores, especialmente do fator RH O+.

“Ele (Roger) necessita de doadores do tipo sanguíneo O+, mas nada impede que pessoas de outros tipos de sangue doem também. Afinal, podem ajudar mais pessoas”, comenta a amiga da família de Roger, Márcia Soares.

Márcia conta que o drama do amigo começou há pouco mais de um mês, quando Roger procurou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do Bairro Moinhos d’Água, após sentir-se mal. “Na UPA, ele foi diagnosticado com dengue, fez o teste, mas não ficamos sabendo o resultado logo, foi medicado e foi para casa. Porém, ele não melhorou e quando votou à UPA alguns dias depois, teve uma parada cardíaca durante atendimento e foi encaminhado para o HBB. No hospital, Roger foi diagnosticado com uma doença chamada ‘empiema cerebral’. Conforme o médico que o atendeu, essa doença surgiu em função de uma sinusite mal curada, o que possibilitou a instalação de uma bactéria no organismo de Roger”, explica.

Roger chegou a ficar 17 dias entubado, respirando com auxílio de aparelhos. Ela também teve outra parada cardíaca durante a internação hospitalar, o que resultou em uma hemorragia interna, por isso o jovem precisa de reposição sanguínea. “Ele ainda teve que amputar parte dos dois pés”, lamenta Márcia.

Doadores aptos e dispostos a colaborar devem procurar o Hemovale, banco de sangue instalado junto ao HBB. Para fazer contribuir, os doadores devem agendar o procedimento, o que pode ser feito pelo fone (51) 3748-0442. O Hemovale funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 13h, e aos sábados, das 7h30 às 11h. Mais informações pelo telefone (51) 9 9310-4887.

A doença

O empiema subdural é um processo infeccioso que compromete o espaço subdural, ou seja, entre a dura-máter e aracnoide (membranas localizadas na meninge, entre o crânio e o cérebro). É mais comum quando compromete somente um lado do hemisfério cerebral e acomete mais o sexo masculino, especialmente na segunda década de vida. Dentre suas principais causas temos sinusite e otite média.

Texto: Luís Fernando Wagner
noticias@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui