Candidatos a Prefeitura de Lajeado respondem sabatina proposta pelo Fórum das Entidades

Questionamentos passaram por assuntos como guarda municipal, trabalho informal e comércio aos domingos e busca por apoio político estadual e federal.


0
Sabatina com candidatos a Prefeitura de Lajeado (Foto: Rita de Cássia)

Os três candidatos ao executivo de Lajeado, Daniel Fontana (PSB), Marcelo Caumo (PP) e Márcia Scherer (MDB) participaram na noite desta quinta-feira (22), de uma sabatina promovida pelo Fórum das Entidades de Lajeado. O evento, que não teve acesso do público, foi transmitido pelo Facebook, youtube e TV Univates, direto do Teatro Univates. Durante cerca de 1h40min, os candidatos responderam à nove perguntas elaboradas pelos 15 integrantes do grupo que representam o Fórum das Entidades. Eles tinham 2 minutos e 30 segundos para cada resposta.

Sabatina com candidatos a Prefeitura de Lajeado (Foto: Rita de Cássia)

Os questionamentos passaram por assuntos como: planejamento e desenvolvimento regional, guarda municipal, qualificação dos servidores e agilidade nos atendimentos, trabalho informal e comércio aos domingos, busca por apoio político estadual e federal, plano global a longo prazo/parceria público e privada, parcerias e ações de voluntariado, qualificação e melhorias dos conselhos municipais e mobilidade.
Segundo o coordenador do projeto, Adriano Strassburger, o Observório Social sempre propõe ações específicas para dar mais condições aos eleitores na hora de definir o voto. “Já realizamos uma sabatina em 2016, mas esta edição exigiu um formato de acordo com protocolos devido a pandemia. Para isso, cotamos com grande apoio da Univates, que fez a transmissão do evento para que as pessoas pudessem assistir em suas casas. Esta é uma forma mais tranquila e serena, para que os candidatos se dirijam aos eleitores; e possam explanar o que pensam sobre os mais diferentes assuntos”, destaca.

Planejamento e desenvolvimento
A primeira pergunta tratava-se do planejamento para Lajeado como cidade pólo do Vale do Taquari, em relação ao desenvolvimento regional e no diz respeito a infraestrutura e o conhecimento. Márcia Scherer acredita numa proposta de pensar Lajeado como protagonista da região, não só por ser o pólo econômico, mas por ter o compromisso de ser líder político do Vale. Também acredita que é preciso vencer o bairrismo e fazer o jogo do ganha-ganha; além de manter os empreendedores na região.
Para Daniel Fontana, a modernização e o reconhecimento das transformações que ocorrem no mundo são fundamentais para a gestão. Fontana aposta em Lajeado como referência em tecnologia na América Latina, empresas de tecnologia; e em uma construção coletiva para encontrar soluções.
Para Marcelo Caumo, é importante que as ações sejam baseadas em estudos, assim como ocorreu com a duplicação da BR-386; defende a privatização das rodovias estaduais e um estudo aprofundamento no que se refere ao porto. Caumo afirma que é necessário pés no chão, analise e execução.

Guarda Municipal
Marcelo Caumo considera a guarda municipal como um dos detalhes importantes da política segurança municipal. Na pirâmide dos problemas, aparecem as facções, os crimes patrimoniais e na base estão os pequenos delitos. Nesta base acredita ser fundamental a participação da guarda municipal – para que as polícias tenham a liberdade de trabalhar nos delitos mais complexos.
Daniel Fontana, entende que todas as ações precisam ser feitas com consenso. Uma vez que o projeto não pode ser aprovado por imposição legal, é preciso buscar alternativas. Para ele, Lajeado precisa seguir o conceito de uma cidade inteligente, democratizar a democracia e se construir a partir de informações colhidas de todas as pessoas, com transformação tecnológica.
Marcia Scherer afirma que o projeto que está hoje na Câmara de Vereadores, da guarda municipal, é inconstitucional, pois avança sobre atribuições da policial civil, e por isso, não poderá prosperar. Márcia também acredita que a guarda municipal não deve ser criada por criar, pois corre-se o risco de perder o respeito da comunidade e não se tornar efetiva.

Qualificação dos servidores e agilidade nos atendimentos
Daniel Fontana entende que a administração pública precisa ser modernizada, pois o papel torna o processo moroso. O servidor precisa ser qualificado, mas os processos precisam ser modificados e a gestão atualizada. O século 21 é ágil e transparente, e o cidadão precisa saber onde é gasto o dinheiro público.
Marcelo Caumo apontou o Simplifica, apresentado no primeiro ano de governo, que segundo ele, gerou maior facilidade para abertura e fechamento das empresas. Citou várias ações já iniciadas como a interligação entre secretarias, agentes e forças do município; e o Promove, onde uma das ações prioritárias abrange a tecnologia da informação.
A candidata Márcia Scherer destaca a importância da clareza de informações para agilizar atendimentos, e para que as pessoas saibam quem é responsável pelos mais variados serviços. Uma das ideias é criar aplicativos que facilitem os acessos da população.

Trabalho informal e comércio aos domingos
Marcelo Caumo entende que ainda há um longo caminho de diálogos a ser seguido, mas é favorável a indicação de algum ponto onde as pessoas possam trabalhar. Sobre o comércio aos domingos e feriados, Caumo apoia uma simples retirada da proibição, e assim, deixar livre quem quer trabalhar.
Para Márcia Scherer, o comércio ambulante dos estrangeiros têm causado desconforto aos comerciantes, mas também não considera uma forma digna como os ambulantes estrangeiros atuam, muitas vezes vendendo produtos no chão. Ela acredita que o gestor deve ter a coragem para discutir o melhor modelo e implementá-lo.
Daniel Fontana, entende que as políticas de geração de empregos são as alternativas para quem perdeu seu trabalho. Para isso, pensa ser importante a ousadia, estar conectado e a ter criatividade.

Busca por apoio político estadual e federal
Daniel Fontana espera consenso e união de ideias na hora de buscar recursos, independente de questões políticas. Além disso, é preciso estarem conectados com a esfera federal.
Marcelo Caumo destaca o setor de projetos especiais que alcançou sucesso em várias áreas, entre elas, investimentos do governo federal e estadual, mesmo em tempos de pandemia; como é o caso dos recursos destinados após a enchente do mês de Julho.
Márcia Scheree pensa que Lajeado precisa de grandes projetos, em especial, para enfrentar as enchentes, de modo a minimizar impactos. Para isso, pensa em criar um setor especial com este objetivo.

Entidades que fazem parte do fórum
– Associação Comercial e industrial de Lajeado (Al)
– Associação Lajeadense Pro-Segurança Publica (Alsepro)
– Associação das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Pericas, Informações e Pesquisas do Vale do Taquari (Aescon VT)
– Camara de Dirigentes Lojistas de Lajeado (CDL Lajeado) S Camara de Industria, Comercio e Serviços do Vale do Taquari (CC VT)
– Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) 7. Junior Chamber international Lajeado UC Lajeado) 8. Nucleo de Arquitetos da ACIL
– Observatório Social de Lajeado (RS Lajeado) 10 Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Lajeado)
– Sindicato do Comércio Varejista do Vale do Taquari (Sindilojas VT 12 Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado do Rio Grande do Sul (Sincodiv.RS)
– Delegacia do Vale do Taquari 13. Sindicato dos Contadores e Técnicos em Contabilidade do Vale do Taquari (Sincovat)
– Sindicato da Industria da Construção Civil e Similares do Vale do Taquari (Sindu.com VT)
– Sociedade dos Arquitetos e Engenheiros do Vale do Taquari (Seavat)

Texto: Rita de Cássia
redacao@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui