Carnaval ilegal em Marselha reúne 6,5 mil e deve fazer com que número de casos de Covid-19 aumente na França, diz autoridade de vacinação

Um evento ilegal nas ruas da cidade reuniu cerca de 6,5 mil pessoas. Alain Fischer, o líder encarregado pela vacinação na França, afirmou que o carnaval ilegal pode resultar em mais casos e mortes e que foi um evento irresponsável


0
Imagem de carnaval clandestino em Marselha, em 21 de março de 2021 (Foto: Christophe Simon/AFP)

Cerca de 6.500 pessoas, a maioria delas sem máscara, fizeram um carnaval ilegal no domingo (21) em Marselha, no sul da França, um evento considerado irresponsável pelas autoridades de saúde, pela polícia e pelos políticos locais.

Alain Fischer, o líder encarregado pela vacinação na França, afirmou que o carnaval ilegal pode resultar em mais casos e mortes e que foi um evento irresponsável.

“Estou com raiva. A atitude egoísta de alguns irresponsáveis ​​é inaceitável. Nada justifica destruir os esforços coletivos para conter o vírus”, reagiu o prefeito de Marselha, Benoît Payan, em uma rede social.

“A irresponsabilidade, a violência e a degradação cometidas pelos participantes são injustificáveis”, condenou a responsável pela policia da região de Bouches-du-Rhône, Frédérique Camilleri.

A polícia estimou o número de participantes em 6.500.

Há mais de 4.400 pacientes com Covid-19 na França no momento, o maior número desde o final de novembro, de acordo com dados do setor de saúde pública da França publicados no domingo.

Intervenções da polícia

Por volta das 18h30 (hora local), a polícia interveio próximo ao Porto Velho para dispersar a aglomeração e sete pessoas foram presas, segundo a sede da polícia. No total, segundo novo balanço divulgado na manhã desta segunda-feira (22), nove pessoas foram controladas e algumas delas multadas por não uso de máscara e por degradação do patrimônio público. Um policial ficou levemente ferido, segundo os responsáveis pela segurança pública local.

Marselha não foi afetada pelas novas restrições que entraram em vigor no sábado e vão durar por pelo menos quatro semanas em 16 departamentos, incluindo a região parisiense e os Alpes-Marítimos, fica em Nice.

Mas as restrições usuais para combater a propagação da Covid-19 se aplicam, incluindo a limitação de reuniões e o uso obrigatório de máscaras.

No ano passado, o carnaval La Plaine foi cancelado com o primeiro lockdown.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui