Casal que caiu em golpe juntou dinheiro por seis anos para trazer os filhos do Haiti para o Vale do Taquari

Eles perderam R$ 30 mil através de uma falsa agência de viagem. A mãe diz sentir muita dor e saudade, não tendo mais forças para juntar o valor novamente


0
Na tela do celular a mãe vê a imagem de uma das filhas no dia da falsa viagem (Foto: Gabriela Hautrive)

Há cerca de nove anos Jean Lexume Joseph (45) saiu do Haiti em busca de melhores condições de vida e encontrou no Vale do Taquari, uma forma de sustentar a família. Três anos depois, sua esposa, Wikline Lexume Joseph (36) também mudou-se para a região, e desde então, há seis anos, eles residem em Estrela, trabalham em Lajeado e juntam dinheiro para trazer os quatro filhos que permaneceram no Haiti. Mas todo o esforço e economia foram perdidos em um golpe. O primo de Joseph, que tem o mesmo nome que o seu, também chamado de Jean Lexume Joseph, iniciou conversas com uma falsa agência de viagens através do Facebook para trazer os filhos do casal do Haiti e mais um familiar, sendo que pagaria R$ 6 mil por cada pessoa, totalizando R$ 30 mil.


OUÇA A REPORTAGEM


Primos Jean Lexume Joseph (ambos com o mesmo nome) e a esposa de um deles, Wikline Lexume Joseph (Foto: Gabriela Hautrive)

Após muitos dias com troca de informações e envio de documentação, eles descobriram que estavam falando com um perfil falso da agência e não com o verdadeiro, sendo alertados terem caído em um golpe e perdido todo o valor investido para viagem dos adolescentes: um jovem de 17 anos e três meninas com idades de 10, 13 e 15 anos, além de um tio deles que viria junto.

Conforme o primo, tratava-se de uma agência de Curitiba que realmente existe, mas os golpistas criaram um outro perfil, com todas as informações da empresa, para então aplicar o golpe. “Durante duas semanas mandou mensagem no messenger e depois de conversar com nós disse pra mandar foto do documento para ver se o nome dos filhos estava aprovado”, conta.

Ele conta que inclusive mandaram áudios se passando pela pessoa da agência e explicando como seria a viagem: “Disse que precisava de R$ 6 mil para cada um, para comprar passagem, sair do Haiti, entrar na República Dominicana e então chegar no Brasil”. Depois disso, marcaram a viagem para o dia 2 de julho, em que os adolescentes foram avisados, fizeram as malas e ficaram esperando o deslocamento para o Brasil, porém, nada aconteceu. “Ele bloqueou nós, até agora não conversou mais, e a agência entrou em contato dizendo que não eram eles que estavam falando e sim ladrões que estavam roubando dinheiro na internet e que mais pessoas também haviam perdido o dinheiro”, relata.

Os filhos do casal chegaram a se preparar e se arrumar para a viagem que não aconteceu (Imagens: Montagem Rádio Independente)

Economia de anos e a dor da saudade

A mãe dos adolescentes, Wikline Lexume Joseph, lembra que há muito tempo junta dinheiro com o desejo de trazer os filhos para o Brasil, já que desde que chegou ao Vale do Taquari, só tem contato com eles por mensagens e ligações. “Eu ia guardando dinheiro, trabalho na Minuano e tenho muita saudade dos meus filhos, trabalhei muito”., conta. Após cair no golpe, Wikline conta que ficou desanimada e sem forças para juntar o valor novamente. “Eu tenho muita dor na cabeça, muito problema, não tenho mais nada, como eu faço, vou trabalhar de novo? Perdi R$ 30 mil, é muito, muito difícil”.

Diz também que os filhos estão com a avó paterna, que já é bastante idosa, e não tem mais condições de cuidar deles: “Eu choro muito, é muita dor, tenho muita saudade dos filhos, eles dizem que tem saudade da mãe que mora longe”, relata. Além disso, perguntam como ela vai trabalhar de novo para juntar o valor e trazer eles ao Brasil.

Como ajudar

Quem deseja ajudar a família e contribuir para que os filhos possam vir ao Vale do Taquari, devem entrar em contato pelo telefone (51) 9-8154-5293 e falar com Jean ou enviar Pix pelo usando a chave do número do celular. Além disso, foi criado uma campanha no site Vakinha. Clique aqui e faça sua doação.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui