Casos de Covid-19 aumentam 53% no Vale do Taquari em uma semana

Infecções confirmadas pelo Estado saltaram de 565 para 866 em sete dias.


0
Município com o maior número de casos na semana foi Lajeado (Foto: Pixabay/Reprodução)

A próxima rodada do Distanciamento Controlado, a 18ª do programa, terá 866 casos e oito óbitos por Covid-19 a serem contabilizados para o Vale do Taquari, representado pela região de Lajeado na iniciativa do governo estadual. Em uma semana, as infecções tiveram incremento de 53,2% nos municípios que integram o grupo.

O período a ser levado em consideração compreende os dias 28 de agosto e 3 de setembro. A semana anterior, de 21 a 27 de agosto, quando a região retornou para a a bandeira laranja, teve 565 casos confirmados e oito mortes. Em óbitos a taxa se manteve, mas com relação aos pacientes o aumento foi significativo.

A média móvel foi de 123,7 na semana encerrada nesta quinta-feira. Isso quer dizer que, ao dia, o cálculo de casos novos esteve em 123,7. Lajeado foi o que mais confirmou pacientes, tendo 295 novos no período. O número corresponde a 34% do total da região. Em segundo está Teutônia, com 143 (16,5%) e depois Taquari, que somou 119 (13,7%). Outro destaque é Tabaí, que saltou de 43 para 115 positivos.

Lajeado predomina no Vale do Taquari em número total de infecções. De acordo com o Estado tem 2.924 testes positivos, enquanto que a Prefeitura informa 2.987 confirmações. A diferença ocorre pois o Piratini leva em torno de três dias para reconhecer ou não os testes informados pelos municípios. Ainda de acordo com a administração são 2.799 recuperados (93,7%), 152 ativos (5%) e 36 mortes (1,2%). É o primeiro na região quando o assunto é pacientes em tratamento, somando 152.

A divulgação da próxima rodada do Distanciamento Controlado, que tem 11 critérios em avaliação, está prevista para a tarde desta sexta-feira (4). Ao todo, a região já teve 7.197 testes positivos da doença. Entre os pacientes, 6.534 estão recuperados (90,7%), 563 em tratamento (7,8%) e 100 faleceram (1,3%).

Texto: Natalia Ribeiro
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui