Caumo diz estar aberto ao diálogo, mas defende publicação do edital de concessão de rodovias o quanto antes 

"Estrada da morte é isso que a gente tem hoje", afirma o prefeito de Lajeado ao rebater nota emitida pela CIC-VT


0
Marcelo Caumo, prefeito de Lajeado, em entrevista à Rádio Independente (Foto: Rodrigo Gallas)

Em entrevista ao programa Troca de Ideias da Rádio Independente, na manhã desta sexta-feira (11), o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo diz estar aberto ao diálogo sobre a concessão das rodovias estaduais do Vale do Taquari. No entanto, defende a publicação do edital o quanto antes. “Que se dê o passo seguinte e que se analise o valor da tarifa. Ajustes nos contratos de execução das obras sempre vão acontecer.”

No entendimento do chefe do Executivo lajeadense, os ajustes nos projetos poderão ser realizados durante o andamento do contrato de concessão. “É o momento propício [..]. A licitação não ocorrendo agora, com as eleições se aproximando, será prorrogada. E a gente segue pagando pedágio sem obras nas rodovias.” Para ele, o pior sistema possível é o atual, com o valor de passagem na cancela caro e sem obras nas rodovias.

Prefeito rebate nota da CIC-VT

Caumo rebateu a nota emitida pela Câmara de Indústria, Comércio e de Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT) na tarde da última terça-feira (8). No documento, a entidade diz que além de não atender aos anseios da população, o projeto poderá tornar a rodovia numa “estrada da morte”. O prefeito de Lajeado contrapõe: “Estrada da morte é isso que a gente tem hoje”.

Saiba mais:

O mandatário municipal diz ser provável que quando a CIC-VT fez a manifestação, não tinha acesso ao projeto atualizado. De acordo com o gestor, todos os municípios fizeram as reivindicações ao Estado de quais obras eras importantes. Depois, o governo fez a devolutiva, e 90% do que foi solicitado foi colocado no projeto.

Texto: Rodrigo Gallas
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui