Equipes discutem melhorias para a fluidez do trânsito na BR-386, em Estrela

Novas medidas devem ser tomadas antes do feriadão de Páscoa


1

 

A manhã deste sábado (27) foi marcada por uma visita técnica realizada junto a ponte sobre o Arroio Boa Vista, na BR-386 em Estrela. O encontrou contou com a presença do diretor-presidente da CCR ViaSul, Fausto Camilotti, membros das equipes de engenharia e operação da concessionária, representantes da Polícia Rodoviária Federal, do Pelotão Rodoviário da Brigada Militar, do prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, e do prefeito em exercício de Estrela, João Schäffer.

Entre os principais pontos, foram discutidos os trabalhos de recuperação da estrutura e as melhorias no fluxo de veículos. De acordo com a concessionária, neste sábado foram encerrados os serviços nos pilares da ponte. A tendência é que as obras na travessa e na laje sejam finalizadas no próximo dia 13 de abril, liberando o tráfego de veículos pesados em ambos os sentidos da rodovia.

Vídeo: Artur Dullius

Em relação aos serviços de recuperação da ponte no sentido capital – interior, a companhia acredita que os estudos de engenharia devem ser concluídos nos próximos dias. O prazo fixo para a conclusão dos trabalhos deve ser definido com base no tipo de solução a ser adotado para o concerto da ponte.

Conforme o chefe da Delegacia da PRF de Lajeado, Paulo Reni, os usuários da BR-386 já se deparam com esta situação há duas semanas e é necessário oferecer uma condição melhor para o tráfego de veículos. “Ainda não está concluída essa sinalização e a estratégia de fluidez. Estamos construindo, junto com a concessionária, se existe alguma intervenção que possa ser feita de modo a causar um prejuízo menor para os motoristas”, afirma.

Segundo Reni, as principais medidas devem ser tomadas de forma imediata, como forma de melhor a fluidez antes mesmo do feriadão de Páscoa. “Já adiantamos que não vai ser nada fácil. As pessoas que forem viajar, vão encontrar problemas e congestionamentos aqui, fazendo a viagem durar um bom tempo a mais. Precisamos pensar formas de diminuir este prejuízo. Não vamos nem falar em não ter prejuízo, pois isso é algo que já existe”, alerta.

De acordo com o chefe da PRF, a concessionária se responsabilizou por implementar outros dispositivos de sinalização no local. A alteração busca esclarecer ao usuário a possibilidade de transitar pelo trecho, impedindo que motoristas parem ou trafeguem a 5 km/h. “O local aqui é para rodar até 40 km/h, para que ocorra a fluidez. A gente se preocupa que a sinalização seja compreendida pelos usuários. Precisamos ouvir o motorista e entender se ele está tendo o tempo suficiente para tomar essa decisão de forma correta”, pontua.

Reni lembrou ainda a importância da atenção por parte de usuários que trafegam com veículos de carga. Segundo ele, cada caminhão que segue de forma incorreta pelo trecho leva cerca de quatro minutos para manobrar, deixando o fluxo completamente parado e aumentando em até um quilômetro o congestionamento de veículos.

Texto: Artur Dullius
am950@independente.com.br


1 comentário

  1. Só sabem aumentar pedágios. ..não resolvem nada. Veremos quantos anos levarão pra resolver a situação da ponte. Enquanto isso os palhaços pagam pedágio, ipva e de mais impostos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui