Cerca de 500 pessoas protestam contra o Congresso e o STF e mostram apoio a Bolsonaro, em Lajeado

Carreata percorreu algumas das principais vias da cidade na tarde deste domingo e contou com, aproximadamente, 200 veículos.


0

Cerca de 500 pessoas participaram de uma manifestação contra a Câmara dos Deputados, o Senado e Supremo Tribunal Federal (STF) e de apoio ao presidente Jair Bolsonaro na tarde deste domingo (15), em Lajeado. A carreata contou com aproximadamente 200 veículos, entre motos, carros e caminhonetes.

A estimativa de público leva em conta informações da Brigada Militar, da organização do evento, bem como da reportagem da Rádio Independente, que acompanhou o ato. A maioria dos veículos levou duas ou mais pessoas e estava caracterizada com bandeiras do Brasil e de apoio a Bolsonaro. Os motoristas fizeram barulho, através das buzinas. Em alguns veículos, caixas de som reverberavam músicas patriotas e mensagens de apoio do governo Bolsonaro.

O grupo saiu do Parque do Imigrante, no Bairro Alto do Parque, por volta das 15h30 e o trajeto, que levou cerca de 50 minutos, percorreu as avenidas Alberto Müller, Avelino Talini (em frente à Univates), Alberto Pasqualini e Benjamin Constant, até ser concluído no Parque Professor Theobaldo Dick. Ao longo do percurso, os veículos permaneciam em uma das vias e permitiam o tráfego normal na(s) outra(s). Não houve incidentes.

Dona Adelaide saiu da casa para apoiar a manifestação (Foto: Ricardo Sander)

A professora aposentada Adelaide Bergesch (77), ouviu as buzinas da sua casa no Centro e fez questão de pegar a sua bandeira do Brasil e ir para a calçada da Avenida Benjamin Constant apoiar a mobilização. “Porque eu sou brasileira. Nada a ver com Bolsonaro, mas com o Brasil verde e amarelo. Fora à corrupção. Fora aquelas piranhas que estão denegrindo a imagem do Brasil. Fora àquela corja. São uns vagabundos. Isso é que eles são”, repudia.

Ao fim do trajeto, boa parte dos manifestantes permaneceu no Parque dos Dick, onde foi rezado o “Pai Nosso” e cantados os hinos nacional e do Rio Grande do Sul.

Muitos manifestantes permaneceram no Parque doas Dick após a carreata (Foto: Ricardo Sander)

A manifestação foi organizada pelo Movimento União de Direita (MUD) de Lajeado e a Direita de Arroio do Meio. Os organizadores dizem que foram às ruas devido à “chantagem do Congresso Nacional denunciada pelo General Heleno” e os políticos que parecem estar jogando contra o Brasil. “Recentemente eles legislaram a cerca da Lei de Diretrizes Orçamentárias, na qual R$ 30 bilhões ficariam inviabilizados para a União. E o Congresso pretende usar este recurso como verbas parlamentares de bancada , de comissões e verbas  individuais, tirando recursos preciosos que o governo poderia  investir  diretamente nas necessidades dos brasileiros”, cita um dos coordenadores do MUD, Daniel Steffens.

Michael de Oliveira (Foto: Ricardo Sander)

Michael de Oliveira (24), outro coordenador do MUD, se disse muito satisfeito com a participação da população. “Nos surpreendeu a quantidade de pessoas que veio acompanhar a gente, que veio apoiar o governo Bolsonaro”, comenta.

 

 

Coronavírus

Diversas mobilizações com o mesmo tema foram realizadas pelo Brasil neste domingo, não atendendo solicitação de Bolsonaro de que os eventos fossem suspeitos para evitar o contágio do novo coronavírus (Covid-19). Oliveira explica os motivos da manutanção do ato em Lajeado. “A manifestação é popular. É em apoio a ele (Bolsonaro), é. Mas não foi ele que convocou e não ia ser ele que ia dizer para não virmos. A gente sofre com a corrupção. Sofreu com péssimos governos há anos. O coronavírus, tudo bem, a gente sabe que é um problema, mas ainda não se instalou aqui, então a gente não tinha porque não vir pra rua”, destaca. Para ele, os motivos que os levaram às ruas são maiores. “Acho que um vírus pior que o coronavírus é a corrupção. Por isto que nós estamos na rua”. Oliveira, também é presidente do partido Democratas, em Lajeado.

Gilberto Luís Dersch e Luciana Grün (Foto: Ricardo Sander)

O vendedor Gilberto Luis Dresch e a companheira, Luciane Grün, participaram de uma manifestação dessas pela primeira vez. “Em primeiro lugar apoiar o nosso presidente porque eu acho que partiu tudo dele as mudanças que estão acontecendo. Então a gente tem que arregaçar as mangas e participar, mostrar que está apoiando. Que ele consiga os objetivos nossos, derrubar este STF e melhorar o nosso país. Se a gente não tirar tempo pra mostrar que a gente está a fim, ninguém vai fazer, né”, ressalta.

Texto: Ricardo Sander
ricardosander@independente.com.br


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui