Chá beneficente será realizado para custear manutenção da Casa de Acolhida e atendimento a pacientes em Lajeado

Promoção é da Associação de Pais e Amigos da Fundef (Apaf) que recebe crianças e familiares, oferecendo local para dormir, alimentação e produtos de higiene. Cartões para o chá custam R$ 15 cada


0
Juliana Gonçalves e a filha Pâmela, de 2 anos, receberam atendimento na manhã desta segunda-feira (27) na Casa de Acolhida (Foto: Gabriela Hautrive)

Com objetivo de atender pacientes e familiares que realizam consultas e outros procedimentos na Fundação para a Reabilitação das Deformidades Crânio-faciais (Fundef), de Lajeado, servindo como apoio para que essas pessoas tenham um local onde possam aguardar os atendimentos ou o transporte, a Associação dos Pais e Amigos da Fundef (Apaf) criou a Casa de Acolhida, que existe desde 2006, e há cinco anos está localizada na Rua Pinheiro Machado, no Centro da cidade, próximo ao Hospital Bruno Born.

Mas para disponibilizar os serviços são necessários investimentos, e por isso a associação realiza ações para arrecadar valores. A próxima delas será no dia 8 de outubro, com a promoção do Chá Beneficente, com cartões que custam R$ 15 cada.


ouça a reportagem

 


A meta de vendas dos cartões, segundo a presidente da Apaf, Gisele Porto, é de 800 a 1 mil unidades, o que resultaria em uma arrecadação entre R$ 12 a R$ 15 mil. “Esse valor será revertido então para melhorias ao paciente”, completa. Além da manutenção do espaço e outros custos, a presidente relata que há também uma demanda para doação de produtos de higiene e limpeza. “A gente acaba fazendo kits e repassando aos pacientes, sabote, pasta de dente e escova”, relata.

Também há um bazar na casa que vende produtos doados pela comunidade. “São valores irrisórios, muito baixos, tanto para os pacientes, quanto para comunidade, e esses valores são revertidos nas benfeitorias da casa também.” A associação ainda necessita de doação de alimentos e roupas, que são fornecidos para todos os pacientes que permanecem na Casa de Acolhida durante a pré e pós consulta na Fundef. “A Fundef é referência estadual no tratamento de fissura de lábio leporino, nós temos cerca de 3,5 mil pacientes cadastrados e também contamos com serviço auditivo que atende três coordenadorias regionais com 9 mil pacientes cadastrados”, conta Gisele.

Presidente da Apaf, Gisele Porto (Foto: Gabriela Hautrive)

Desta forma, a associação recebe os pacientes, de diferentes locais do estado, que agendam sua estadia na casa. “Temos uma colaboradora, que se chama Franciele, ela fica à disposição dos pacientes que recebem uma senha para ter acesso a casa e recebem tudo o que precisam, que é conforto, local para tomar um banho e fazer um lanche”, explica.

Para ajudar na compra dos cartões que dão acesso ao chá beneficente ou então contribuir com doações de alimentos e materiais de higiene e limpeza, basta entrar em contato com a diretoria da Apaf, recepção da Fundef ou diretamente na Casa de Acolhida.

A venda dos cartões fica disponível até a próxima sexta-feira (1º), no valor de R$ 15 cada. Os chás serão entregues na casa, localizada na Rua Pinheiro Machado, número 513, no Centro de Lajeado, entre 9h e 16h. A Casa de Acolhida de Lajeado virou realidade no ano de 2006 e atualmente está em seu terceiro endereço, tendo o apoio de empresas e entidades. A Apaf recebe doações de parceiros fixos e anônimos. A estrutura do espaço conta quartos, feminino e masculino, banheiros, sala, cozinha, lavanderia e espaço para as crianças brincarem.

Casa de Acolhida está localizada localizada na Rua Pinheiro Machado, número 513, no Centro de Lajeado (Foto: Gabriela Hautrive)

Fundef

A Fundef é uma instituição beneficente que busca a reabilitação de pessoas com fissuras labiopalatais e deficiência auditiva. É reconhecida nacional e internacionalmente por sua atuação. Os atendimentos começaram em 1991, por iniciativa do médico Wilson Dewes e equipe de profissionais voluntários. São mais de 20 de atuação de forma interdisciplinar, com reuniões clínicas para a discussão de casos e tomada de decisão em equipe de acordo com a necessidade de cada paciente.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui