Chefe da Olimpíada de Tóquio renuncia

Confira as informações do programa Correspondente Independente do meio-dia.


0
Foto: Kim Kyung-Hoon / POOL / via AFP Photo

O presidente do comitê organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o japonês Yoshiro Mori, anunciou sua renúncia ao cargo, após a polêmica provocada por seus comentários sexistas na semana passada. O sucessor não foi anunciado.

Shopping Lajeado anuncia horário diferenciado de atendimento para o Carnaval

O Shopping Lajeado estabeleceu horário diferenciado para o período de Carnaval. No sábado e na segunda-feira, as lojas e a praça de alimentação abrem das 10h às 22h. Já no domingo e na terça-feira, o atendimento das lojas ocorre das 13h às 19h e a praça de alimentação ficará aberta das 11h às 22h. Já a Federação Brasileira de Bancos (Febrabab) informou que, de acordo resolução do Banco Central, o calendário de feriados bancários está mantido e na segunda-feira (15) e na terça-feira (16) não haverá atendimento ao público nas agências. Na quarta-feira de cinzas (17) o início do expediente será às 12h, com encerramento em horário normal de fechamento das agências. AI/VM

Idosos recebem vacina contra a Covid em casa, no primeiro dia de imunização para o público acima de 85 anos

A vacinação contra a Covid-19 dos idosos com mais de 85 anos acamados começou em Lajeado nesta quinta-feira (11). A equipe de vacinadores do Centro de Saúde do Montanha percorreu os bairros Morro 25, Nações, Santo Antônio, Conservas e Jardim do Cedro para o atendimento domiciliar deste grupo prioritário. O atendimento a acamados desta faixa etária seguiu nos bairros Moinhos, Montanha, Moinhos D´Água e Bom Pastor. O mesmo será feito em outras regiões da cidade nos próximos dias. O critério para vacinação nesta fase é de idosos com mais de 85 anos, que podem ser vacinados no Posto, no modo drive-thru, ou por meio do atendimento domiciliar, que deve ser solicitado pela família quando o idoso vive acamado e sem condições de se deslocar. Para solicitar o atendimento domiciliar é preciso ligar para o telefone 3982-1210 (das 7h30 às 11h30 e das 12h30 às 16h30). Excepcionalmente nesta sexta-feira (12), equipes atenderão nos postos de saúde a população acima de 85 anos em alguns bairros. O cronograma completo pode ser conferido no site www.independente.com.br./AI/LF

Brasil tem aumento de 5% nos assassinatos em 2020, ano marcado pela pandemia do novo coronavírus; alta é puxada pela região Nordeste

O Brasil teve uma alta de 5% nos assassinatos em 2020 na comparação com 2019, após dois anos consecutivos de queda. É o que mostra o índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. No ano passado, foram registradas 43.892 mortes violentas, contra 41.730 em 2019. Ou seja, 2.162 mortes a mais. Estão contabilizadas no número as vítimas de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. O aumento de mortes acontece mesmo durante a pandemia do novo coronavírus e foi puxado principalmente pelo Nordeste, que teve um aumento expressivo nos assassinatos: 20%. É importante ressaltar que a região também foi a grande responsável pela queda de mortes nos últimos dois anos.

Witzel vira réu por corrupção e lavagem e é afastado do governo do RJ por mais 1 ano, decide STJ

Por unanimidade, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aprovou o recebimento da denúncia contra Wilson Witzel (PSC). O governador afastado do Rio de Janeiro agora é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os ministros também votaram pelo afastamento de Witzel do cargo por mais um ano. Uma decisão do próprio STJ, afastou Witzel no fim de agosto por 180 dias, prazo que acabaria no fim deste mês. A prorrogação por mais um ano vale também para outras medidas cautelares. Pela decisão, Witzel está proibido de: /frequentar a sede do Poder Executivo/ manter contato com servidores/morar no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governo/Em uma rede social, Witzel criticou o recebimento da denúncia pelo STJ e disse que jamais praticou qualquer ato ilícito. Fonte: G1

Em documento, CNI defende retomar programa que permitia redução de jornada e salário

Em documento, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) defende a retomada do programa que permitia redução da jornada de trabalho e do salário em razão da pandemia. O Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda foi criado em 2020 e vigorou até 31 de dezembro do ano passado, quando também deixou de vigorar o decreto de calamidade pública. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), 9,8 milhões de trabalhadores aderiram ao programa no ano passado. O documento da CNI reúne, ao todo, 25 propostas para a redução do chamado “Custo Brasil”. Fonte: G1

Bolsonaro diz que auxílio emergencial deve ser estendido por ‘3 ou 4 meses’

Em viagem ao Maranhão, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que a prorrogação do auxílio emergencial “está quase certa, ainda não sabemos o valor” e que a ajuda deve ser liberada por mais três ou quatro meses (assista ao vídeo acima). A data para início da nova rodada de pagamentos ainda não foi definida pelo governo federal, mas, em uma live na noite desta quinta, o presidente disse que “tem pressa” e que “tem que ser a partir de março”. Fonte: G1

Câmara aprova projeto que criminaliza o ‘fura-fila’ da vacinação

A Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que transforma em crime o ato de furar fila para ser vacinado. O texto segue agora para a análise do Senado. A proposta cria um novo tipo de crime, chamado de “infração a plano de imunização”, atualmente não previsto no Código Penal. O projeto também criminaliza qualquer afronta à operacionalização de planos de imunização federais, estaduais, distritais ou municipais. Pela proposta aprovada, o crime abrange todas as vacinas, e não apenas as doses contra a Covid-19. A pena estabelecida no projeto é de um a três anos de detenção e multa. Também nesta quinta, os deputados aprovaram um projeto que prevê até cinco anos de prisão para quem destruir, inutilizar ou deteriorar vacinas, insumos ou qualquer outro bem destinado ao enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. O projeto vai ao Senado. Fonte: G1

Produção e apresentação: Júlio César Lenhard
Próxima edição: ao meio-dia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui