Chefe das Forças Armadas dos EUA diz que é possível trabalho coordenado com o Talibã contra o ISIS-K no Afeganistão

O ISIS-K, um inimigo regional do Taleban, foi responsável por detonar duas bombas fora do aeroporto de Cabul na última quinta-feira


0
Foto: Amanda Voisard / Reuters

O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA, general Mark Milley, disse na quarta-feira (1º) que os militares americanos podem atuar em coordenação com o Talibã no Afeganistão para impedir ameaças regionais de terrorismo da filial do Estado Islâmico conhecida como ISIS-K.

O reconhecimento veio em uma coletiva de imprensa do Pentágono com o secretário de Defesa, Lloyd Austin, que sugeriu que a relação de trabalho do Pentágono com o grupo militante não se estenderia além da missão de evacuação, concluída na terça-feira.

Milley, falando depois de Austin, descreveu o Talibã como “um grupo implacável” e disse: “Se eles mudam ou não, ainda está para ser visto”.

Quanto à organização do Pentágono com o Talibã nas últimas semanas no aeroporto internacional de Cabul, onde os militares dos EUA realizaram sua missão de evacuação, Milley explicou: “Na guerra, você faz o que deve para reduzir o risco”. Pressionado novamente sobre os EUA talvez trabalhando com o Talibã para combater o ISIS-K, Milley fez uma pausa antes de responder: “É possível”.

Austin, então, interveio em um aparente esforço para suavizar a declaração de Milley. “Daqui para a frente … de novo, eu não gostaria de fazer nenhuma previsão”, disse Austin.

O ISIS-K, um inimigo regional do Taleban, foi responsável por detonar duas bombas fora do aeroporto de Cabul na última quinta-feira, matando 13 soldados americanos e ferindo mais 18. O ataque, que foi o evento com mais mortes dos EUA no Afeganistão desde 2011, também matou pelo menos 169 afegãos.

Os EUA retaliaram com um ataque de drones no sábado que matou dois membros do ISIS-K na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão.

Outro ataque de drones dos EUA no domingo destruiu um veículo perto do aeroporto de Cabul que se acreditava estar abastecido com explosivos ISIS-K, mas o drone também teria matado 10 civis afegãos. Mais tarde no domingo, o Pentágono frustrou um ataque de cinco foguetes disparados contra o aeroporto.

Fonte: Politico

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui