Chile deverá ter nova Constituição

Confira as informações do programa Correspondente Independente das 8h.


0
Foto: REUTERS/Ivan Alvarado

Eleitores decidiram por ampla maioria que o Chile terá uma nova Constituição. A decisão foi tomada pela população em plebiscito histórico organizado neste domingo (25), um ano depois da onda de protestos que tomaram o país. Os alvos foram principalmente a classe política. A partir de agora, os chilenos devem escolher quem comporá a comissão constituinte. Depois que o novo texto for debatido e aprovado por esse grupo, outro plebiscito — provavelmente em 2022 — decidirá se o Chile adotará ou não a nova Constituição. O atual documento data da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), mas sofreu emendas e modificações que a tornam bem diferente do texto formatado pelos militares décadas atrás. Fonte: G1


ouça o programa


Ricardo Salles diz ter pedido desculpas a secretário de governo

Três dias após começar a trocar farpas publicamente com o secretário de Governo, Luiz Eduardo Ramos, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse no domingo (25) em uma rede social que pediu desculpas ao colega. A divergência entre eles começou depois da uma reportagem publicada pelo jornal “O Globo”, em que foi citado que Salles “esticava a corda” com a ala militar para testar a blindagem dada pelo presidente. O texto foi publicado logo depois que Salles mandou suspender a ação de agentes do Ibama em áreas do país onde há incêndios e alegou falta de recursos. Os militares desaprovaram a medida, que foi encarada como provocação, já que o chefe do Conselho da Amazônia é o vice-presidente Hamilton Mourão, que é general da reserva do Exército e não foi consultado sobre o tema. Na ocasião, o ministro Salles acusou Ramos de ser “maria fofoca”, o que gerou reação dos líderes do Congresso em defesa de Ramos, que atua na articulação do presidente Bolsonaro. Fonte: G1

Violência contra candidatos quase triplicou em quatro anos

A violência contra candidatos quase triplicou em quatro anos. Os episódios contra políticos eleitos, candidatos e pré-candidatos, incluem ameaças, agressões e ofensas. O número de assassinatos e atentados no período é alarmante e representa uma ameaça à democracia: foram125 ocorrências, em 24 estados do Brasil. Os motivos, segundo especialistas, são conflitos territoriais, atuações ilícitas em governos dominados por esquemas de corrupção e disputas por poder. Fonte: G1

Novo Plano Diretor de Lajeado entra em vigor na próxima segunda-feira

O novo Plano Diretor de Lajeado entra em vigor na próxima segunda-feira (26). Ordenar o crescimento urbano do município em seus aspectos físico, econômico, social e administrativo é o principal objetivo do plano, que substitui as diretrizes estabelecidas em 2006. Ele estava em processo de desenvolvimento em conjunto com a comunidade e entidades desde 2017 e foi aprovado pela Câmara de Vereadores em de 4 de agosto de 2020. Na ocasião, os vereadores apresentaram 44 emendas ao projeto. Destas, 11 foram vetadas, 30 foram sancionadas e três foram desconsideradas. Das 11 emendas vetadas, duas tiveram o veto derrubado pela câmara e agora integram o novo Plano Diretor. Houve a divisão do perímetro urbano do município, que estabelece sete zonas com diferentes características de ocupação. Dentre as novidades também estão uso misto da cidade, sistema viário, transposições urbanas, simplificação, e atividades inovadoras. Mais detalhes no site independente.com.br. AI/RS

Embaixadora das Filipinas no Brasil agride empregada doméstica

A embaixadora das Filipinas no Brasil, Marichu Mauro, foi flagrada por câmeras agredindo a empregada doméstica dentro residência diplomática em Brasília. Os abusos, repetidas vezes, incluíam puxões e tapas na funcionária, que também é filipina. Funcionários da segurança recolheram as imagens, que agora integram provas de uma denúncia feita contra Marichu no fim de agosto. A funcionária, de 51 anos, deixou o país. Fonte: G1

Mobilização impede corte de guapuruvu em Porto Alegre

A mobilização de um grupo de ambientalistas no fim de semana impediu o corte de um guapuruvu na rua 24 de Outubro, no bairro Independência, e suspendeu o trabalho dos técnicos da empresa contratada pela prefeitura de Porto Alegre para fazer a retirada da árvore. Os manifestantes alegam que o tronco, que tem cerca de 1,3 metro de diâmetro e 26 metros de altura, está em boas condições e deve ser preservado. Eles afirmaram, ainda, que os funcionários não dispunham do laudo técnico para seguir com a atividade. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams) informa que a queda de um galho em cima de um carro, em novembro de 2019, motivou o pedido de supressão. Fonte: Correio do Povo

Produção e apresentação: Júlio César Lenhard
Próxima edição: hoje às 11h54

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui