China suspende importação de carnes da Minuano

Medida visa impedir um novo surto no país. Ministério da Agricultura iniciou negociações para que as suspensões possam ser levantadas para a empresa de Lajeado e outras duas indústrias brasileiras.


1
Foto: Arquivo/Natalia Ribeiro

A China suspendeu importações de três unidades processadoras de carne do Brasil, informou o Ministério da Agricultura (Mapa) nesta segunda-feira (29). O motivo seria a preocupação de Pequim de conter novo surto da epidemia de Covid-19. Uma das empresas é a Minuano, de Lajeado, que teve parte de suas atividades suspensas no início de maio devido a um surto de contaminação de coronavírus.

Em comunicado, o ministério acrescentou que o órgão chinês responsável pela área, General Administration of Customs People’s Republic of China (GACC) “solicitou recentemente informações sobre alguns estabelecimentos brasileiros que exportam para a China e que tiveram notícias divulgadas na imprensa do Brasil sobre casos da Covid-19 entre seus trabalhadores”. Segundo o Mapa foi suspensa temporariamente a importação de carne de três estabelecimentos dos 102 brasileiros.

Em resposta a questionamentos da Rádio Independente, o Ministério da Agricultura informou que “está buscando junto à GACC as razões da suspensão dos três estabelecimentos, e, ao mesmo tempo, iniciou negociações para que as suspensões possam ser levantadas, visando à retomada por parte dessas empresas das exportações para a China”.

Além da Minuano, a JBS de Passo Fundo e uma unidade da Marfrig, de Várzea Grande (MT) estão impossibilitadas de fazer a exportação para a China. A Agra, de Rondonópolis (MT) também já estava com as exportações suspensas.

Através de sua assessoria de imprensa, a Minuano disse que não irá se manifestar sobre o assunto, nem divulgar quanto de sua produção tem como destino o mercado chinês.

O Mapa também afirmou que “suspendeu voluntariamente” a exportação para China de um estabelecimento que teve suas atividades paralisadas em função de decisão judicial ligada aos procedimentos de prevenção da Covid-19 entre seus trabalhadores. Na semana passada, a China identificou o frigorífico como sendo da exportadora Agra Agroindustrial de Alimentos.

O Ministério da Agricultura informa que o Brasil possui um regramento para prevenção, controle e mitigação de riscos de transmissão da Covid-19 nas atividades da indústria de abate e processamento de carnes e derivados. “Trata-se da Portaria Conjunta nº 19, de 18/06/2020 – ME/MAPA/MS, já traduzida para o mandarim e entregue às autoridades sanitárias chinesas”.

O que diz a Prefeitura de Lajeado

Em resposta à reportagem da Rádio Independente, a Prefeitura de Lajeado emitiu uma nota sobre a impossibilidade de exportação da Minuano para a China. Confira o que diz o texto:

“Mesmo tendo sido uma decisão da China, o município manifesta desde já seu apoio à empresa no que for necessário para que restem comprovados sua colaboração e seu esforço para combater a disseminação do coronavírus nas suas dependências, tendo atendido a todas as solicitações feitas pelas autoridades e cumprido os acordos exigidos para a continuidade da sua operação.”

Segundo a Secretaria da Fazenda de Lajeado, a Minuano é a quarta empresa em retorno de ICMS, correspondendo a 6% do total (R$ 2,5 milhões líquidos).

Texto Ricardo Sander
ricardosander@independente.com.br

1 comentário

  1. Bem feito ganância. Se tivessem parado não teria acontecido tudo de ruim que aconteceu em lajeado

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui