Com atrasos no recolhimento do lixo, Cruzeiro do Sul encaminha nova licitação e a compra de lixeiras

Conforme o secretário de Administração e Finanças, atualmente falta mão de obra para o recolhimento manual dos resíduos, mas a equipe e os turnos de trabalho serão ampliados com a nova empresa. Processo deve acontecer ainda neste mês


0
Acúmulo de lixo e containers quebrados estão espalhados pela cidade (Foto: Gabriela Hautrive)

O município de Cruzeiro do Sul está enfrentando problemas com o atraso no recolhimento de lixo. A falta de lixeiras e alguns containers danificados dificultam a coleta. O problema acontece desde as enchentes dos meses de setembro e novembro do ano passado.


ouça a reportagem

 


Conforme o secretário de Administração e Finanças, Leandro Luis Johner, a prefeitura trabalha para resolver o problema. “Encaminhamos ao Tribunal de Contas um processo licitatório, e agora estamos providenciando isso para o final de janeiro, para melhorar o atendimento”, destaca.

Locais com depósito de lixo que estão danificados (Foto: Gabriela Hautrive)

Segundo ele, esse processo licitatório visa a contratação de uma nova empresa para administrar a coleta do lixo, que atualmente é feita pela Graziela Muniz, mas o contrato, com prazo de um ano, encerra no final deste mês. Outra iniciativa, conforme o secretário, é a compra de novos containers e lixeiras para agilizar o trabalho. “Muitas foram levadas pelas enchentes e outras acabaram estragando em função da manutenção.”

Cronograma de recolhimento de lixo está atrasado no município (Foto: Gabriela Hautrive)

O atraso no recolhimento se dá pela falta de mão de obra, em locais que a coleta precisa ser feita de forma manual. “Queremos que isso possa ser um serviço mecanizado, que hoje é feito manual, e isso tem retardado o recolhimento. Porque as pessoas geralmente largam o lixo solto, ou nas lixeiras ou ao lado delas”.

Ampliação da equipe e mais volume de lixo

Secretário de Administração e Finanças de Cruzeiro do Sul, Leandro Luis Johner (Foto: Gabriela Hautrive)

O secretário reforça que no novo processo licitatório será ampliado o número de equipes que trabalham na coleta do lixo.

“Serão duas equipes, com dois turnos, para agilizar o processo de recolhimento, e isso no processo antigo não tinha, era uma equipe só. Então, a gente viu essa demanda necessária.”

Outra questão analisada, conforme o secretário, é o aumento no volume do lixo após as enchentes. “Antes dos eventos eram em torno de 6 a 7 toneladas por dia e hoje está passando as dez toneladas diárias. Isso tem também causado esse atraso no recolhimento”, destaca.

Texto: Gabriela Hautrive
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui