Com candidatura impugnada, Claudiomiro Cenci aguarda definição por nova eleição em Putinga

Em meio ao impasse, presidente da Câmara assumiu a administração. Tarefa coube a Fernandinho da Vila (PSD), que não queria se candidatar a vereador, mas foi o mais votado.


0
Nas urnas, Claudiomiro Cenci foi reeleito com 51,49% dos votos em 15 de novembro (Foto: Divugalção)

O futuro da Prefeitura de Putinga é uma incógnita. O prefeito reeleito, Claudiomiro Cenci (PP), teve a sua chapa com o médico Paulo Lima impugnada em função de irregularidades na convenção partidária e no registro da candidatura na Justiça Eleitoral.

A deliberação inicial tinha como vice Ana Maria Cason (PDT). Porém, o nome foi trocado ao longo do processo, em uma segunda convenção, e o problema se deu com as informações prestadas à Justiça. Havia divergências nas documentações e atas que relatavam as deliberações entre os partidos.

Com o indeferimento da chapa, o presidente da Câmara de Vereadores foi chamado a assumir a administração municipal. A tarefa coube ao parlamentar de primeiro mandato Fernandinho da Vila (PSD), que foi o mais votado para o Legislativo, com 267 votos. Ele permanece como prefeito em exercício até uma definição da Justiça. A confusão foi tão grande que não houve transição, e Fernandinho não tinha a chave da Prefeitura para iniciar os trabalhos, em 1º de janeiro. Ele teve que atrás e pegar com uma secretária.

Agora, para encurtar o caminho e resolver o problema, Claudiomiro Cenci — que nas urnas foi reeleito com 51,49% dos votos em 15 de novembro — diz que não vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.

Cenci reconhece que houve problemas na convenção da chapa PP-PDT. O político diz que, em municípios do interior, o processo não é tão bem organizado e relatado em termos jurídicos. “A convenção no interior não é tão regrada”, admite. “Essa redação de ata não foi escrita bem certinha”, explica. “Isso acabou nos dando problemas”, acredita.

Agora o progressista pede por uma nova eleição, para que a comunidade de Putinga tenha a oportunidade de se manifestar e resolver a questão. Ele espera que uma nova eleição possa ser marcada e cita datas como 9 de março ou 4 de abril, ou domingos disponíveis até novembro deste ano. A tendência é que Cenci concorra, novamente, com Paulo Lima. “Acho que é injusto para o eleitor nosso de Putinga, que votou na gente, ter uma pessoa que nem candidato foi governando o município. Nada contra o atual prefeito, mas pela própria população”, argumenta.


ouça a fala do prefeito impugnado

 


 

“Ainda não caiu a ficha”

Fernandinho da Vila não esperava passar por uma situação como essa. “É um negócio bem estranho”, diz ele, que não tinha interesse em se candidatar a vereador e aceitou o convite após a insistência do presidente local do PSD em Putinga. “Estou muito surpresa com isso. Até está sendo estranho para mim, do nada, ser candidato a vereador, ser o mais votado e acabar como prefeito. Ainda não caiu a ficha”, confessa.

Aos 43 anos, Fernandinho teve que montar uma equipe de secretários de emergência. “É uma correria muito grande”, admite. “Está sendo bem turbulento esses dias aqui, mas acredito que mais uns dias a gente consegue botar tudo em ordem”, destaca.


confira o depoimento de fernandinho

 


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui