Com doação de terreno concretizada, Polícia Civil busca recursos para nova delegacia em Roca Sales

O projeto de novo prédio surgiu em 2019. Porém, atrasou em função da pandemia


0
Delegado Alex Assmann (Foto: Divulgação)

Nos próximos dias deve ser formalizada a doação de um terreno do município ao Estado para a construção da nova sede da Delegacia de Polícia Civil de Roca Sales. A corporação policial está instalada há mais de 20 anos em um prédio alugado na cidade.

O projeto de novo prédio surgiu em 2019. Porém, atrasou em função da pandemia, explica o delegado Alex Assmann. A delegacia ficará em um terreno na esquina da praça da matriz, no centro. A Polícia Civil pegou um modelo padrão de repartição policial e adaptou às condições do terreno. Um engenheiro da prefeitura fez a planta baixa da obra.


ouça a entrevista

 


Conforme o delegado, após a aprovação da doação do terreno pela Câmara de Vereadores, agora vem a parte mais difícil: a captação de recursos. Em 2019, os líderes do projeto calculavam ser necessários cerca de R$ 500 mil, valores ainda não atualizados para o tempo presente.

Assmann explica que a ideia é angariar as verbas por meio do Poder Judiciário, com a destinação das penas alternativas; via Ministério Público, com os recursos de termos de ajustamento de conduta; além da ajuda com doações da comunidade.

O delegado também cogita parcerias que viabilizem a utilização de mão de obra de presidiários para baratear a obra. A ideia é construir a delegacia através do Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro), uma entidade privada de Roca Sales, sem fins lucrativos, que auxilia os órgãos de segurança.

Assmann estima que a conclusão possa ocorrer em cerca de 2 anos. Ele explica que a Polícia Civil só deve iniciar o projeto após reunido um volume considerável, para que a estrutura não pare sua edificação no meio do caminho.

Sala de mediação na DPPA

Em Lajeado, na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) foi finalizada a estruturação de uma sala de mediação. Antes, os agentes utilizavam para o programa Mediar a mesma sala destinada para situações de violência doméstica. Agora, cada assunto terá sua área em separado. “Então, ficou melhor o serviço e o espaço disponibilizado ao público”, nota o delegado Alex Assmann, titular da DPPA.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui