Com ensino remoto, os desafios de quem precisou estudar em casa para o Enem

Professora de português e redação dá dicas para um bom texto e possíveis temas.


0
Gabriela Vidal quer cursar medicina (Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação)
Gabriela Vidal quer cursar medicina (Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação)

Gabriela Vidal, de 19 anos, será uma das milhares de pessoas que irá realizar a prova do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) nos próximos domingos, 17 e 24. Contudo, será um processo um tanto quanto desafiador se comparado a outros anos, já que toda sua preparação para as provas se deu de forma on-line em função da pandemia. A jovem diz que encontrou dificuldades para aprender a estudar sozinha. “Em questão de concentração não dá pra dizer que foi 100% porque em casa a gente também acaba se deparando com empecilhos na hora de estudar. Tu tem todos os aparelhos eletrônicos à disposição, que muitas vezes acabam roubando tua atenção, com mais gente em casa por conta da quarentena também tem barulho, sem contar que sempre parece que o ambiente não é o ideal”, relata.

No entanto, o aprendizado não foi impossível. A estudante, moradora de Encantado, conta que avalia de forma positiva o seu rendimento fora da sala de aula. “Para mim foi positivo porque acabei criando uma autonomia nos estudos que eu não tinha antes, eu dependia muito do que os professores me passavam em aula, e em função do EAD aprendi a ir atrás dos conteúdos que eram realmente necessários pra mim”, observa.

Dicas de quem sabe

Para facilitar este processo de estudos em meio a muito distanciamento existem professores como a Letícia Gracioli que dá aulas de português e redação. Antes mesmo da pandemia ela já utilizava seu Instagram profissional para auxiliar estudantes, disponibilizando conteúdos de forma gratuita.

Letícia Gracioli é professora de português e redação (Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação)

Ela confessa que o ano de 2020 foi desafiador para a educação e diz que pode haver dificuldades na hora de realizar o Enem. “Os estudantes podem sentir dificuldade na redação porque não é simplesmente escrever e sim muita prática. Aconselha-se que o candidato escreva uma redação por semana”, conta. Além disso, a professora também diz que pode haver insegurança por parte dos candidatos. “Muitos estudantes podem ficar inseguros quanto ao seu processo de escrita, entretanto durante todo o ano de 2020 muitos perfis e plataformas criados por professores disponibilizaram materiais gratuitos com a finalidade de auxiliar os alunos”, salienta.

Quanto ao tema da redação do exame deste ano, já que é sempre algo muito cogitado e motivo de ansiedade por parte dos candidatos, Letícia fala que é difícil dar um palpite. “Por isso indico a produção de redações com temas variados e a leitura de textos sobre temas atuais durante todo o período de preparação para a prova. Alguns eixos temáticos estão sendo bastante cogitados em virtude do grande foco que tiveram em 2020, como educação, saúde e aspectos relacionados a desigualdade social”, observa.

Passo a passo para um bom texto, conforme Letícia

1- Leia atentamente a proposta de redação, familiarize-se ao tema e identifique o recorte temático;
2- Faça o projeto de texto, nele já coloque também sua proposta de intervenção, ela deve ter os cinco elementos;
3- Escreva seu texto, garantindo unidade temática e progressão textual;
4- Atenção ao emprego da norma culta da língua;
5- Revise a redação com atenção e veja se você conseguiu escrever de acordo com as cinco competências que são avaliadas.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui