Com medidas sanitárias, empresa calçadista de Teutônia reduz em 92% o número de funcionários afastados por Covid-19

Além da máscara e álcool em gel, a Weiand Calçados faz higienização do ambiente, separação por acrílico entre colaboradores e testagem para quem tem sintomas


0
Sanitizações são feitas ao longo de todo o dia nos espaços internos da empresa (Foto: Gabriela Hautrive)

Para aumentar os cuidados sanitárias por conta da pandemia e evitar a disseminação do coronavírus, a empresa Weiand Calçados, localizada no Bairro Canabarro, em Teutônia, adotou medidas sanitárias restritivas. Além do uso de máscara e álcool em gel, acontece um processo de higienização do ambiente, separação dos funcionários com acrílico e testagem para colaboradores que sentirem qualquer tipo de sintoma. A medida vem trazendo resultados positivos, conforme o proprietário da empresa, Vanderlei Weiand. O local conta com 180 funcionários ao todo, atuando em três diferentes setores da empresa.


ouça a reportagem 

 


 

Conforme o empresário, antes da adoção de medidas mais restritivas, 28 precisaram ser afastados ao mesmo tempo por sintomas gripais, e atualmente apenas dois estão nesta condição, o que representa uma redução de 92,6% nos casos suspeitos ou confirmados de contaminação pelo vírus. “Tivemos um número razoável de pessoas afastadas, e após o carnaval o número aumentou muito, então tomamos algumas atitudes mais enérgicas e conseguimos um resultado, não digo excelente por que não é 100%, mas muito bom”, explica. Durante 1 ano de pandemia, 60 colaboradores testaram positivo para o vírus, sendo que precisavam ser afastados de 8 a 10 por vez, antes do pico entre os dias 18 e 26 de fevereiro.

Funcionários são separados por acrílicos para evitar contato (Foto: Gabriela Hautrive)
Proprietário da empresa, Vanderlei Weiand (Foto: Gabriela Hautrive)

O uso obrigatório da máscara e do álcool em gel são protocolos seguidos dentro da empresa desde o início da pandemia, segundo Weiand. Mas com o passar do tempo, a orientação e informação sobre cuidados cresceu muito internamente. “Reuniões diárias com o pessoal, conversa e fiscalização ferrenha, não deixando ninguém no ambiente de trabalho usando a máscara de forma errada ou ficando sem ela”, relata.

Além desses cuidados pessoais, ao longo do dia são feitas sanitizações pelos corredores da empresa e todos os funcionários tem a temperatura aferida ao ingressar no local.

Os cuidados também precisam seguir em ambientes externos ao da empresa, segundo o empresário. “Acompanhando os números que temos aqui, vimos que o fator de contaminação não é a indústria e sim no ambiente de fora, em casa e na festa, e essa orientação deu bastante resultado”, pondera. A Weiand Calçados, além da sua linha própria, produz sapatos para a empresa Beira Rio e conta com a fabricação de solas em uma outra linha de produção. Assim como outras empresas, também encontrou dificuldades em meio a pandemia, mas a principal foi a queda da produção em virtude do afastamento de funcionários. Com sete anos de atividade, a Weiand é um dos principais atelieres de calçados do município de Teutônia.

Situação da pandemia em Teutônia

O município de Teutônia contabiliza um total de 3.090 casos confirmados de infecções por coronavírus desde o início da pandemia, conforme dados da prefeitura. São 44 pessoas com o vírus ativos, 274 em análise, 52 óbitos e 2.994 pessoas já recuperadas. No que se refere a vacinação, a cidade tem, segundo última atualização, 2.994 munícipes já receberam a primeira dose e outros 795 a segunda.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui