Com novos ultrafreezers, Secretaria da Saúde poderá armazenar até 1,2 milhão de vacinas

Vacina da Pfizer pode ser mantida somente por período de 31 dias em câmara de conservação entre 2 e 8°C


0
Foto: SES / Divulgação

Com capacidade para armazenar até 1,2 milhão de doses da vacina da Pfizer, seis novos ultrafreezers passam a integrar até a próxima semana a Rede de Frio da Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul. Com os equipamentos, instalados no Campus CEVS e à disposição da Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi), será possível preservar por até nove meses o imunizante, evitando perdas.

Ao contrário de outras vacinas aplicadas contra a covid-19, a vacina da Pfizer pode ser mantida somente por período de 31 dias em câmara de conservação entre 2 e 8°C, enquanto o armazenamento em temperaturas ultrabaixas (entre -60° e -80°C) mantém o imunizante efetivo por maior período de tempo. Como a tecnologia é nova, os ultrafreezers para preservação não faziam parte da Rede de Frio de nenhum Estado. “Estávamos usando os ultrafreezers da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

Foi importante o apoio deles”, explicou a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Tani Ranieri. “Com essa chegada dos equipamentos para incrementar a Rede de Frio Estadual ganharemos tempo a mais e a possibilidade de estender estratégias”. Dos novos equipamentos, dois já estão em funcionamento. Foram adquiridos pelo Ministério da Saúde e cedidos ao Estado.

Os outros quatro, doados pelo movimento Unidos pela Vacina, que reúne empresários em apoio à vacinação e ao Programa Nacional de Imunizações, devem estar ativos até a próxima semana, segundo Tatiana dos Santos Castilhos, farmacêutica responsável pela Central Estadual.

Fonte: O Sul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui