Com possível municipalização da Escola Estadual Fernandes Vieira, prefeitura pretende criar creche no mesmo local

Vice-prefeita Gláucia Schumacher deu detalhes dos trâmites à reportagem do Grupo Independente; reuniões devem ocorrer nas próximas semanas


0
Escola Estadual Fernandes Vieira apresente problemas em sua estrutura, além de não contar com espaço para refeitório (Foto: Caroline Silva)

A prefeitura de Lajeado confirmou a possível municipalização da Escola Estadual Fernandes Vieira, comentada por alguns vereadores da base governamental na última sessão da Câmara de Lajeado. A instituição apresenta sérios problemas em sua estrutura devido a última enchente que atingiu a região no ano passado, o que impede, inclusive, o retorno presencial de algumas turmas.

Vice-prefeita Gláucia Schumacher (Foto: Caroline Silva)

Nesta quinta-feira (13) a vice-prefeita Gláucia Schumacher, disse que o desejo da prefeitura em municipalizar a escola vem de antes da pandemia. “Fizemos um mapeamento das nossas escolas a fim de verificar quais são as nossas demandas, já que temos falta de vagas no ensino fundamental e infantil”, conta.

Ela destaca que, por a instituição estar bem localizada, traria muitos benefícios à comunidade e existe a possibilidade de construir uma creche no mesmo local da escola. “É uma escola central, próxima da Sociedade Lajeadense de Atendimento à Criança e ao Adolescente (SLAN), e queremos construir uma creche junto ao prédio. Para a criança é bom entrar na instituição e já poder permanecer nos anos finais”, comenta.

Conforme a vice-prefeita, reuniões devem ocorrer nas próximas semanas com a 3ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), e com a Secretaria Estadual de Educação. Para ela, os trâmites devem ser rápidos. “Acredito que seja tranquilo, já vimos em cidades próximas onde já ocorreu municipalização, sempre tem uma burocracia mas acredito que haverá interesse do Estado, porque está difícil de fazer essas reformas e nós teríamos condições”, destaca.

Relembre

O chão de três salas de aulas da Escola Estadual Fernandes Vieira apresenta buracos devido a enchente que atingiu a região em julho do ano passado. Isso impede o retorno presencial de estudantes dos anos 6º, 7º e 8º ano da instituição. Outro problema enfrentado pelo educandário é a falta de um refeitório. Segundo a diretora Carma Marder, os professores precisam servir os alunos nas próprias salas de aula.

Chão de algumas salas de aula da escola (Foto: Caroline Silva)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui