Com três votos contrários, Câmara aprova destinação de R$11 mil para compra de medalhas

Valor será destinado à Secretaria da Segurança Pública para aquisição de ''Medalha Capitão Pedro Siebra”, título concedido anualmente pelo município e que não ocorreu em 2020, em razão da pandemia


1
Havia cinco projetos na pauta do dia (Foto: Caroline Silva)

Na sessão da Câmara de Vereadores de Lajeado desta terça-feira (04) havia cinco projetos a serem votados, mas apenas dois deles foram aprovados pela casa. Os demais receberam pedido de vistas – que é quando um ou mais parlamentares pedem mais tempo para analisarem a proposta.


ouça a reportagem


Um dos PL aprovados foi o do Executivo que autoriza a abertura de crédito especial para a Secretaria da Segurança Pública, no valor de R$ 11 mil para aquisição de medalhas que serão utilizadas nas premiações da “Medalha Capitão Pedro Siebra”, título concedido anualmente pelo município e que não ocorreu em 2020, em razão da pandemia. Foram contrários a esta proposta os vereadores Carlos Eduardo Ranzi (MDB), Jones Vavá (MDB) e Marquinhos Schefer (MDB).

O segundo projeto aprovado, e este por todos os vereadores, foi o de autoria do vereador Alex Schmitt (PP) que concede o título de Cidadão Lajeadense ao diretor executivo do Hospital Bruno Born (HBB) Cristiano Dickel.

Na tribuna

O PL de autoria dos vereadores do MDB, Carlos Eduardo Ranzi e Jones Vavá, que pretendia divulgar por meio eletrônico o cronograma de manutenção em vias não pavimentadas do município, foi considerado ilegal pela Comissão de Justiça e Redação da Câmara.

Não conformado, Ranzi se manifestou e disse que nos tempos de hoje a transparência se faz ainda mais necessária. “Já existe um funcionário público para exercer a divulgação de informações, e o vereador Vavá já tirava print da página do secretário de Obras aceitando pedidos de moradores fora de qualquer ordem. A gente precisa da divulgação dessa lista e essa lista deve existir, e se não existir, apenas demonstra que a prefeitura tem uma desorganização”, rebateu.

Vereador Carlos Eduardo Ranzi (MDB) (Foto: Caroline Silva)

Enquanto isso, os vereadores Ana Rita da Apama (MDB), Jones Vavá (MDB), Paula Thomas (PSDB), e Sérgio Kniphoff (PT) apresentaram um anteprojeto de lei que dispõe sobre a inserção do Projeto de Educação Animal (PEA) nas instituições de ensino da rede pública e privada em Lajeado. Ana defendeu a proposta e disse que a é uma maneira de diminuir os registros de violência animal. “O respeito ao animal reflete no respeito ao humano, quem comete violência a um animal comete a um ser humano, e com essa iniciativa vamos reduzir a questão de abandono e maus tratos”, refletiu.

Vereadora Ana Rita da Apama (MDB) (Foto: Caroline Silva)

O presidente da Câmara Isidoro Fornari Neto (PP), aproveitou para comentar sobre sua viagem para Brasília nesta quarta-feira (05). Conforme ele, na pauta estará a área de preservação do Rio Taquari e a ampliação do prédio do HBB. “Estou indo para Brasília na busca de alguns interesses da nossa comunidade. Hoje temos uma área de preservação permanente do Rio Taquari de 100 metros nesse trecho de Lajeado, e queremos estar trazendo isso para 30 metros. Também vamos buscar a reversão do prédio do INSS para que o hospital possa ampliar seu espaço físico” explicou.

Já o vereador Lorival Silveira (PP) usou seu tempo de fala para pedir respostas do Poder Executivo. Ele questiona se foi criado o Comitê para Gestão de Declaração Municipal de Direitos de Liberdade Econômica, e se foi regulamentada a Lei de sua autoria, de 31 de dezembro de 2020. “Esta Lei foi aprovada pela Câmara e por uma casualidade o prefeito se esqueceu de sancioná-la. Essa Lei vem só a beneficiar o comércio, dá segurança para os investidores, então estou pedindo, o que aconteceu com essa Lei?”, questionou.

Vereador Lorival Silveira (PP) (Foto: Caroline Silva)

Secretário dá explicações

Ao final da sessão, a tribuna ficou livre para o secretário da Fazenda Guilherme Cé, que explicou a aplicação dos R$ 12 milhões recebidos pelo município, oriundos do Governo Federal, para combater à pandemia da Covid-19.

Secretário da Fazenda Guilherme Cé (Foto: Caroline Silva)

Texto: Caroline Silva

jornalismo@independente.com.br

1 comentário

  1. O cara quer diminuir a área de preservação do rio taquari. Será que ele já ouviu falar de mata ciliar ou assoreamento de rios???? Já cometeram um crime ao se permitir que o veio da Havan construa em local proibido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui