Combate à tuberculose e à hepatite C no sistema prisional mobiliza ações no Rio Grande do Sul

O projeto foi promovido pela Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), com apoio do governo do Estado


0
Foto: Claudio Fachel/Palácio Piratini

Ao longo do primeiro semestre de 2024, diversas capacitações com foco no combate à tuberculose e à hepatite C foram realizadas para trabalhadores que atuam no sistema prisional do Rio Grande do Sul. Os resultados e encaminhamentos dessa iniciativa foram apresentados, de forma virtual, no evento “Quebrando barreiras: encontro da comunidade carcerária e mostra de ações integradas no combate à tuberculose e hepatite C”, na quinta-feira (27). O projeto foi promovido pela Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), com apoio do governo do Estado.

O evento desenvolveu oficinas e rodas de conversa nas dez Regiões Penitenciárias do RS, abrangendo servidores penitenciários, trabalhadores em saúde das equipes de atenção primária prisional, professores dos Núcleos Estaduais de Educação de Jovens e Adultos (Neeja), conselheiros da comunidade e voluntários de organizações religiosas, entre outros profissionais.

Foram abordados tópicos como identificação precoce de sintomas, diagnóstico, importância do tratamento, estratégias de vigilância em saúde e importância do controle social e das escolas na promoção da saúde dentro do sistema prisional.

Durante a abertura do evento, o diretor-geral da Secretaria de Sistemas Penal e Socioeducativo (SSPS), Pablo Rodrigues, reforçou a importância de parcerias do governo com a academia.

“São várias pontas amarradas para enfrentarmos de modo adequado e firme as questões da tuberculose e hepatite C no sistema penitenciário. Que a gente possa aprofundar cada vez mais, com o apoio da academia, propostas que levem mais luzes a esse sistema […]. Temos visto o quanto é necessário estar mais perto da academia para darmos passos seguros, firmes, transparentes e sem sombras”, disse Rodrigues.

Sob coordenação do Núcleo de Pesquisa e Extensão com Foco no Sistema Prisional (Nupesisp) da Unisc, o projeto teve apoio da SSPS, da Polícia Penal gaúcha, da Secretaria Estadual da Saúde (SES) e da Secretaria da Educação (Seduc). Com financiamento do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), por meio do Ministério da Saúde, foram alcançadas diretamente cerca de 450 pessoas do público-alvo.

Fonte: O Sul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui