Comidas “italianas” que só existem no Brasil

Muitas dessas criações e adaptações foram feitas por falta de ingredientes tradicionais quando os imigrantes vieram para o Brasil; conheça um pouco dessa história


0
Foto: Ilustrativa

São muitas as receitas atribuídas ao “país da bota” que, na verdade, foram inventadas ou adaptadas no Brasil. Muitas dessas criações e adaptações foram feitas por falta de ingredientes tradicionais quando os imigrantes vieram para o Brasil; outras foram apenas inspiradas na nação europeia.

Medico e gourmet Marcos Frank fala sobre culinária nas sextas-feira no quadro “Direto Ao Ponto” (Foto: Divulgação)

De acordo com Gerardo Landulfo, delegado da Accademia Italiana della Cucina, organização com sede em Milão, dois dos pratos comumente atribuídos à Itália são totalmente brasileiros.

“O filé a parmegiana com arroz e fritas foi todo criado aqui. Outros pratos podem ter uma diferença ou outra, mas nada é tão chocante como essa composição. Outra criação brasileira é o polpetone (almôndega), totalmente criado no Brasil porque na Itália é feito no forno, não é frito e não tem o excesso de molho.”

Outras adaptações brasileiras

Palha italiana

O doce feito de brigadeiro e biscoito não tem nada de italiano. Sua origem é brasileira e, muito provavelmente, do sul do país onde há forte colonização da Itália.

Pizzas com coberturas “exóticas”

Pizza de chocolate, de sorvete, de cream cheese, de estrogonofe, frango catupiry…. são milhares de variações que chegam às mesas dos brasileiros nos mais diferentes restaurantes. E não, não há nada de italiano nessas coberturas digamos, exóticas, para o tradicional prato italiano.

Massa à bolonhesa

O molho bolonhesa ou bolognese tem uma receita similar na Itália, mas chamada de ragú. O que pode ter inspirado é o “ragù alla bolognese”, que não é só carne moída e molho de tomate. A receita tem três tipos de carne, pouquíssimo molho de tomate e tem um cozimento mais demorado. A bolonhesa é uma adaptação mais simples

Frango com polenta

Embora no Norte e Nordeste da Itália pratos com polenta e aves de caça sejam comuns e apreciados, não existem versões com frango, menos ainda frito. “Provavelmente foi alguma adaptação que os emigrantes italianos do começo do século XX fizeram ao chegar no Brasil.”

O modo de preparo da polenta também é diferente: por lá é mais firme e grossa, preparada com fubá na panela de cobre, aqui é mais cremosa e frequentemente é feita com farinha branca.

E por falar em frango, o risoto de frango também é uma especialidade tipicamente brasileira. Os italianos fazem risoto com praticamente qualquer coisa, menos… o frango.

Linguiça calabresa

Pelo nome não teria dúvidas: a linguiça calabresa seria da Calábria, região do Sul do país da bota. Mas nada disso. Segundo o chef Ambrosetti, a linguiça que mais se parece com a calabresa se chama salsiccia cacciatora e é um embutido típico do Centro da Itália.

Pela picância, a linguiça calabresa pega o nome da pimenta calabresa, outro ingrediente que na Itália é conhecido como peperoncino (que em italiano significa pimenta). Mas um fato é certo: os calabreses são grandes apreciadores de peperoncino e de comidas apimentadas.

Bife à parmegiana

Ingredientes 

* 2 bifes de filé mignon (com cerca de 1 cm de espessura)
* ⅔ de xícara (chá) de molho de tomate
* 4 fatias de muçarela
* ½ xícara (chá) de farinha de trigo
* ½ xícara (chá) de farinha de rosca
* 1 ovo
* 2 ½ xícaras (chá) de óleo para fritar
* sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto
* queijo parmesão ralado a gosto para gratinar

Modo de preparo

* Preaqueça o forno a 220 ºC (temperatura alta). Coloque o molho numa tigela e leve para rodar no micro-ondas por 1 minuto apenas para aquecer.

* Num prato fundo, quebre o ovo e bata com um garfo. Separe dois pratos rasos; coloque a farinha de trigo em um e a farinha de rosca no outro. Forre uma travessa com papel toalha.

* Numa frigideira com borda alta, coloque o óleo e leve ao fogo médio para aquecer. Para saber a temperatura do óleo, mergulhe um palito de fósforo no óleo ainda frio – quando acender é sinal que está na temperatura certa para fritura.

* Enquanto o óleo aquece, empane os bifes: tempere com sal e pimenta a gosto; passe os bifes primeiro pela farinha de trigo e bata com as mãos para retirar o excesso; em seguida passe pelo ovo batido e deixe escorrer bem; por último, passe pela farinha de rosca e pressione com a mão para cobrir bem toda a superfície.

* Com cuidado, coloque um bife de cada vez no óleo quente e deixe cerca de 40 segundos até dourar um dos lados. Com a escumadeira, vire o bife para dourar o outro lado. Transfira para a travessa forrada com papel-toalha e frite o outro bife.

* Num refratário individual coloque um pouco do molho de tomate apenas para cobrir o fundo. Disponha um bife, cubra com duas fatias de queijo muçarela e regue com mais um pouco do molho. Polvilhe com queijo parmesão ralado e repita com o outro bife (se preferir, monte os dois filés num só refratário, um ao lado do outro).

* Leve ao forno para gratinar por cerca de 20 minutos. Se o seu forno tiver a opção grill, deixe gratinar por 5 minutos em temperatura alta. Sirva a seguir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui