Comissão realiza reunião estratégica sobre ambulantes de Lajeado

Encontro ocorre após desistência da Prefeitura quanto a instalação de camelódromo.


0
Foto: Natalia Ribeiro / Arquivo

Reuniões buscando uma solução para o comércio dos ambulantes em Lajeado seguem acontecendo. Na manhã desta quarta-feira (23), membros da comissão escolhida para tratar do assunto realizaram uma reunião estratégica na sede da Prefeitura de Lajeado. O encontro acontece após Prefeitura receber a contrariedade do Fórum das Entidades Empresariais e Sociais de Lajeado e suspender a ideia de instalar um camelódromo na cidade, e ocorreu no gabinete do prefeito Marcelo Caumo, não foi aberto à imprensa.


ouça a reportagem

 


Integram a comissão, além do Prefeito de Lajeado, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Agricultura, André Bücker; de Planejamento e Urbanismo, Giancarlo Bervian; e de Segurança Pública, Paulo Roberto Locatelli. Do lado do Fórum, o vice-presidente do Sindilojas, Giraldo Sandri; o vice-presidente de serviços da CDL Lajeado, Nilton Colombo; o presidente do Sindicomerciários, Marco Daniel Rockenbach; e ainda o vice-presidente de relações com associados da Acil, Rômulo Peixoto Vier.

Foto: Natalia Ribeiro / Arquivo

André Bücker, após o término do encontro, disse que a reunião foi fechada em razão de ser estratégica, mas segundo ele não há ainda um plano de ação definido. “Não tem ainda um plano de ação ou como exatamente vai se agir, pois estamos procurando esse diálogo com as entidades e todos os representantes da comissão para buscar uma solução que atenda a todos os interessados e se preocupe com a questão social dos ambulantes”, afirma.

O secretário avalia o diálogo como os ambulantes até agora. Ele cita que não há uma unanimidade dos próprios comerciantes de rua quanto ao camelódromo, e cita preocupação dos ambulantes e os outros interessados quanto ao dia a dia de trabalho destes vendedores. “Nós sempre fomos muito transparentes com os ambulantes, e por isso antes mesmo de conversar com Fórum das Entidades, conversamos com eles para saber a opinião sobre o camelódromo, sendo que eles não disseram que não, embora não houvesse uma convicção”, explica o secretário.

Quanto à motivação de não realizar a instalação de um camelódromo, André Bücker entende que o Fórum das Entidades pode trazer mais detalhes, mas ressaltou todos os próprios ambulantes não eram convictos quanto a construção. “Não quero falar pelo Fórum das Entidades, eles têm as motivações e o entendimento do porquê não se instalar o camelódromo, era uma sugestão da Prefeitura, mas não uma imposição, por isso está se procurando achar algum caminho.”

O chefe da pasta de Desenvolvimento Econômico Turismo e Agricultura atenta para algumas adequações necessárias na atuação dos ambulantes. “Claro que há algumas questões que temos que adequar como o respeito ao distanciamento de cinco metros da esquina, como já prevê o decreto, o tamanho do local, como temos conversado e eles têm entendido, a questão de não estarem em frente a vitrines para respeitar as lojas, enfim, buscar juntar todos os interesses e necessidades e buscar uma ação efetiva”, frisa. O secretário Bücker concluiu dizendo que não há um novo encontro marcado para discutir o tema.

Texto: Júlio César Lenhard

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui