Comitê de enfrentamento à covid de Lajeado discute flexibilizações, doses estocadas e exigência de carteirinha na segunda

Prefeito Marcelo Caumo pede que as pessoas busquem completar o ciclo vacinal


0
Prefeito pontua que o município tem seguido as regras gerais do estado durante a pandemia de coronavírus (Foto: Tiago Silva)

O Governo do RS anunciou nesta quinta-feira (30) a ampliação de público em estádios de futebol, eventos sociais e feiras, com a exigência de comprovante de vacinação contra a covid-19, conforme o calendário de imunização. Com isso, por exemplo, pessoas com 40 anos ou mais precisam ter as duas doses ou a vacina em dose única para ingressarem nos locais. No mesmo anúncio foram liberadas as pistas de dança das casas noturnas a partir desta sexta-feira (1º).

Em função disso, em Lajeado, o comitê municipal de enfrentamento ao coronavírus se reúne na segunda-feira (4), às 7h30, para tratar das flexibilizações e adequar as medidas locais ao novo regramento do Estado. Em entrevista ao programa Troca de Ideias, o prefeito Marcelo Caumo adiantou que o comitê também deve discutir a utilização das doses em estoque pelo município. “O município tem uma quantidade importante de doses em estoque que foram encaminhadas para a D2”, explica.

De acordo com o prefeito, é fundamental que a população procure realizar a segunda dose para completar o ciclo vacinal no caso dos imunizantes em duas aplicações. A Secretaria de Saúde também quer destinar esforços para as doses de reforços, especialmente para o público acima dos 60 anos. Caumo nota que as variações nas internações hospitalares é relacionada a esse grupo. “Por isso é importante completar o ciclo com a D2 e ter uma atenção específica para a revacinação de idosos e profissionais de saúde”, afirma o gestor municipal.

Caumo diz que a exigência de passaporte de vacina em Lajeado depende do regramento estadual que vai unificar a situação em todo o Rio Grande do Sul. O prefeito pontua que o município tem seguido as regras gerais do estado durante a pandemia de coronavírus. Ele entende a necessidade em eventos sociais, em shows e casamentos, e propõe discutir a apresentação da carteirinha de vacinação com o comitê municipal.

Sobre o uso de máscaras em locais abertos, o chefe do Executivo de Lajeado mostra-se simpático a ideia de retirada da obrigação. Porém, argumenta que é uma questão de conscientização do cidadão em manter o distanciamento social, evitar aglomerações e ter a noção de quando seu comportamento pode afetar a saúde do próximo. Caumo entende que esses cuidados fazem parte do exercício de reaprender a se comportar em sociedade.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui