1 comentário

  1. Quanto será que um jornalista com o cacife do Alexandre Garcia (que já foi diretor em um dos maiores conglomerados de comunicação do mundo) ganha para assinar qualquer besteira vindo do Palácio do Planalto? Então para planejar as ações a serem adotadas no caso de uma guerra, um país deve esperar ser invadido? Independente de não existir vacina aprovada até agora, considerando as candidatas que se encontram em fase avançada de testes, suas futuras e eventuais distribuições certamente exigirão diversos desafios logísticos distintos daqueles enfrentados em programas ordinários de vacinaçlão, tais como: armazenamento, transporte, calendários de vacinação, treinamentos de pessoal, definição de grupos prioritários etc. É evidente a vantagem de se planejar com antecedência a solução de problemas que vão desde a falta de estoque de seringas para a vacinação em massa (a produção industrial brasileira é limitada) até a necessidade de conservação de algumas das provaveis vacinas aprovadas em temperaturas baixíssimas (chegando a -70ºC). É por este tipo de pensamento tosco, como o da reportegem, que no próximo mês teremos maior número de kits de testagem para a Covid-19 inutilizados em razão do fim de seus respectivos prazos de validade do que aqueles que foram efetivamente utilizados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui