Concessão de rodovias: “O edital não deveria ter sido publicado”, afirma prefeito de Lajeado

Marcelo Caumo alega que ainda existem muitas dúvidas em relação aos investimentos que serão feitos nas rodovias estaduais do chamado bloco 2, que inclui o Vale do Taquari


1
Foto: Tiago Silva

Em meio a tantas discussões e discordâncias, há uma certeza em relação às rodovias estaduais que passam pelo Vale do Taquari: a necessidade de melhorias. Partindo deste ponto, a concessão para iniciativa privada se mostra como a única solução possível para que os investimentos sejam feitos. E é justamente na forma como tudo isso está sendo conduzido que existem muitos questionamentos.

O edital para concessão das rodovias do bloco 2 foi publicado nesta quinta-feira (2). O prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, entende que a concessão é necessária, mas que ainda há dúvidas neste processo liderado pelo Governo do Estado.

“O Vale do Taquari não conhece os 400 quilômetros da concessão, conhece apenas as obras necessárias aqui e isso naturalmente impacta no valor da tarifa. Isso pode ser objeto de discussão, e o que todo mundo busca é uma rodovia de qualidade e uma tarifa justa, que caiba no bolso de cada um. A posição de Lajeado é de que é importante a concessão, mas antes da publicação do edital, deveria ter superado todas as dúvidas e, por isso, como não foi feito, o edital não deveria ter sido publicado”, comenta Caumo.

O bloco compreende trechos das rodovias ERS-128, ERS-129, ERS-130 e RSC-453, localizadas no Vale do Taquari, e das rodovias ERS-135, ERS-324 e BR-470, que conectam Nova Prata, situada no Alto Taquari, à cidade de Erechim, no norte do Estado.

Texto: Nícolas Horn
web@independente.com.br

1 comentário

  1. Caumo, como prefeito de Lajeado, a principal cidade da Região, vc deve estar ao lado dos demais municípios na busca de entendimento. A concessão é necessária e trará melhorias, mas tem que ser bom para todo o Vale do Taquari, da forma que esta sendo apresentada estamos excluindo a parte alta do vale, sem falar no valor do pedágio, uma vergonha se pensarmos em nosso atual momento econômico.
    Precisamos do pedágio, mas um pedágio justo para todos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui