Confira dicas para entrar na água em balneários

O maior cuidado dos banhistas deve ser com as crianças. "Não tem noção do perigo", alerta o comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Lajeado, Fausto Gusmão Althaus.


0
Fausto Gusmão Althaus, comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Lajeado (Foto: Rodrigo Gallas)

Com chegada do verão as pessoas procuram as margens do rio e balneários para aliviar o calor. A população devem ficar em alerta e redobrar a atenção ao entrar na água.  No programa Panorama desta quinta-feira (31) recebemos o comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Lajeado, Fausto Gusmão Althaus, para dar recomendações de segurança aos banhistas no período de verão.

A região é privilegiada com o Rio Taquari e seus afluentes. Há muitos balneários privados. “A responsabilidade para qualquer incidente que ocorra é destes estabelecimentos.” Segundo Althaus, estes locais devem ter equipamentos de socorro e guardas-vida.


ouça a entrevista 

 


 

O maior cuidado é com as crianças. “Crianças não tem noção do perigo, do que pode acontecer com elas. [..] Qualquer segundo que o pai perder a criança de vista, pode ocorrer uma tragédia”, alerta. Ele orienta a não perdê-las de vista, colocar boias nos braços, ou deixá-las com uma pranchinha.

Grande parte dos afogamentos se dá por pessoas que tentam salvar quem está se afogando. A orientação ao salvar é levar pelo menos uma boia, pois a pessoa que está se afogando, por instinto de sobrevivência, vai tentar se firmar no salvador. Para tirar o afogado da água, deve-se puxar pelas costas. De preferência, pelas axilas. Em contexto geral, a maioria dos afogamentos se dá por pânico. A pessoa perde o pé, e acaba se desesperando.

Sempre que for entrar em alguma embarcação deve-se usar colete salva-vidas, orienta Althaus. Pescadores de longa data costumam não usar, motivo de vários afogamentos pelo Brasil, comenta.

É importante também não exceder a ingestão de bebidas alcoólicas, uma vez que o álcool pode diminuir os reflexos e provocar acidentes ou até afogamento.

Após se alimentar, deve-se esperar pelo menos uma 1h para entrar na água; verificar se o local tem alguma restrição antes de mergulhar; respeitas as orientações dos guarda-vidas.

Texto: Rodrigo Gallas
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui