Confira os horários acordados para o comércio no fim de ano em cinco municípios da região

"Acreditamos e esperamos que vá voltar a ser o que era até 2019", estima o presidente do Sindilojas-VT, Francisco Weimer, sobre as vendas


0
Kiko Weimer, presidente do Sindilojas-VT (Foto: Tiago Silva)

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Vale do Taquari (Sindilojas-VT), Francisco Weimer, o Kiko Weimer, detalhou o horário estendido para o período natalino, acordado entre os sindicatos patronal e laboral para Lajeado, Estrela, Cruzeiro do Sul, Arroio do Meio e Muçum até o momento. O empresário também ressaltou as boas expectativas para as vendas deste ano, em função da redução do número de casos de coronavírus, do avanço da vacinação e da retirada das restrições.

“A expectativa é enorme porque nós tivemos um natal de 2020 muito fraco. Acreditamos e esperamos que vá voltar a ser o que era até 2019, porque já agora as coisas estão voltando ao normal. As vendas estão acontecendo. A partir de outubro para cá, já melhorou bastante”, destaca.

HORÁRIO DE NATAL

Lajeado – Estrela – Cruzeiro do Sul = dois domingos

Sábados – Dias 4, 11 e 18: até às 19h
Domingos – Dias 12 e 19: das 15h às 21h
Sexta- feira – Dias 10 e 17: até as 20h
Nos dias 20 à 23, até às 21h
Dias 24 e 31, até às 17h

Valor por domingo = R$ 90,00 + folga na semana
Valor por sábado, para quem tem horário antigo = R$ 45,00 fixo e R$ 30,00 comissionados.

As folgas dos domingos, dias 12 e 19, deverão acontecer na semana que antecede o trabalho, ou seja, trabalho do dia 12, folga entre os dias 6 e 10 de dezembro. Trabalho no domingo, dia 19, folga, entre os dias 13 e 17 de dezembro.

Arroio do Meio e Muçum = um domingo

Domingo, dia 19: das 16 às 20h30
Sábado, dia 18: até às 18h
Sábados, dias 4 e 11: até às 17h
Nos dias 20 a 23, até as 20h
Entre os dias da semana, de 1 a 17 de dezembro: até às 18h30
Nos dias 24 e 31, até às 17h

Valor por domingo= R$ 80,00 + folga na semana
Valor por sábado, para quem tem horário antigo = R$ 45,00 fixo e R$ 30,00 comissionados.

Weimer destaca que, para o sucesso da atividade, é preciso que o vendedor conheça o seu produto e o cliente para que possa surpreender positivamente e reforçar uma relação de confiança. O dirigente lojista nota que, com a pandemia, a tecnologia entrou mais ainda forte no comércio. “Foi uma parte boa da pandemia, que acelerou um pouco mais o uso da tecnologia nas vendas.”

O comerciante nota que cerca de 95% das empresas do ramo em Lajeado são de pequeno porte, e muitos dos proprietários são de mais idade. Com o cenário atual, há grande procura por atualização, com cursos práticos para a utilização das plataformas digitais nas vendas. O Sindilojas-VT já realizou formações com três grupos e está com inscrições abertas para mais uma.

O presidente do sindicato reconhece que Lajeado vivencia nos últimos anos a chegada de grandes redes. Por isso, entende que os pequenos comerciantes, para sobreviverem, precisam se unir e fazer parte das suas associações de classe. Para ter mais força, Weimer cita, por exemplo, negociações em conjunto, por meio de consórcios, para adquirir mercadorias por preços menores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui