Conheça a história da mandioca e saiba como fazer uma boa ‘vaca atolada’

No quadro "Direto do Ponto" desta sexta-feira, a participação do médico e culinarista Marcos Frank.


2
Foto: cybercook.com.br

A Lenda da Mandioca faz parte do folclore brasileiro e é de origem indígena. De acordo com a história, a filha do cacique de uma tribo tupi-guarani havia engravidado, e seu pai muito furioso, queria saber de quem era o bebê que ela estava esperando. A índia afirmava que não sabia como tal fato teria acontecido, pois não tinha se entregado para nenhum homem. O cacique não acreditou na filha.

Certa noite, o chefe da tribo sonhou que alguém lhe dizia para acreditar em sua filha pois ela contava a verdade. A partir deste momento, o cacique passou a aceitar a gravidez da filha e a esperar ansioso pela chegada da neta.


ouça o comentário

 


 

A neta nasceu e era menina era muito bonita, tinha a pele branca e se chamava Mani. Trazia muita alegria para a aldeia pois era uma criança muito feliz e querida. Durante uma manhã, Mani foi encontrada sem vida pela sua mãe. Com muita tristeza, o povo enterrou a menina dentro da própria oca. A terra ficava umedecida com tantas lágrimas, e depois de alguns dias, nasceu uma planta diferente no mesmo local onde o corpo havia sido enterrado.

A planta não era conhecida pela aldeia. Perceberam que ela tinha uma raiz escura e por dentro era toda branca. Em homenagem a filha, ela colocou o nome de Manioca, uma junção de Mani (nome da criança) e Oca (local onde foi enterrada), que com o passar dos anos o nome tornou-se mandioca. Os índios passaram a utilizar a raiz da planta para fazer farinha e uma bebida chamada cauim.

O Brasil é a terra natal da mandioca, onde começou a ser cultivada pelos povos indígenas da Amazônia. Com a sua introdução no continente africano, pela mão dos portugueses, disseminou-se rapidamente para mais de 100 países, representando atualmente um dos principais alimentos na dieta base de cerca de 700 milhões de pessoas segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Hoje em dia, o maior produtor mundial de mandioca é um país africano, a Nigéria, onde a produção é maioritariamente consumida no próprio país devido às suas propriedades nutricionais, pois contém um elevado teor de fibras, proteínas, minerais (zinco, magnésio, cobre, ferro, manganês e potássio) e vitaminas essenciais que combatem a desnutrição.
Esta raiz já foi considerada pela Organização das Nações Unidas o alimento do século XXI.

VACA ATOLADA – COSTELA COM AIPIM

Tempo de Preparo: 10 minutos
Tempo de Cozimento: 1 horas
Rendimento: 5 porções

Ingredientes

• 1,5 kg de costela bovina
• 1,5 kg de aipim (macaxeira, mandioca)
• 2 colheres (de sopa) de óleo ou azeite
• 2 dentes de alho picado
• 1 cebola média picadinha
• 1 tomate grande picado
• 1/2 pimentão verde picadinho
• 1 cubo de caldo de costela
• 1/2 xícara (de chá) de salsinha e cebolinha picada
• 1 colher (de sobremesa) de colorau
• 1 pitada de pimenta do reino moída na hora
• Sal a gosto

Modo de Preparo

1. Coloque o óleo na panela de pressão e frite a costela cortada em pedaços.
2. Assim que fritar toda a costela acrescente o alho e a cebola e frite um pouco mais.
3. Junte o tomate e o pimentão e refogue um pouco.
4. Junte água até cobrir a carne, o caldo de costela, metade da salsinha e da cebolinha, pimenta do reino e sal.
5. Feche a panela de pressão e deixe cozinhar por uns 40 minutos, ou até a carne ficar macia.
6. Quando a pressão sair acrescente o aipim, cubra com água quente e volte para o fogo para cozinhar o aipim, cerca de 30 minutos.
7. O ideal é o aipim ficar se desmanchando, para isso deixe a panela aberta, mexa sempre e vá acrescentando água quente quando for precisando.
8. Acerte o sal e sirva com o restante da salsinha e cebolinha picada por cima.

*Frank posta suas receitas na página no Instagram hungryp2020.

Médico e culinarista Marcos Frank (Foto: Reprodução / Facebook)

2 Comentários

  1. Boa noite.
    Boa reportagem, mas deveriam preservar nossa cultura. Vala atolada não é denominação gaúcha. Temos que parar de importar essas denominações. O correto é “ensopado de mandioca”. Sem frescura.

  2. Boa noite.
    Boa reportagem, mas deveriam preservar nossa cultura. Vala atolada não é denominação gaúcha. Temos que parar de importar essas denominações. O correto é “ensopado de mandioca”. Sem frescura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui