Consulta Popular: “As pessoas estavam tendo dificuldades no sistema de votação”, diz presidente do Codevat sobre baixa adesão

Processo pelo site e aplicativo foi simplificado. Prazo se estende até 15 de dezembro e população do Vale do Taquari poderá escolher um entre três projetos


0
Neste ano toda a votação acontece de forma online, pelo site ou app (Foto: Gabriela Hautrive)

Com baixa adesão da população, foi prorrogado até o dia 15 de dezembro o prazo para a votação da Consulta Popular do Rio Grande do Sul. A medida atende um pedido feito recentemente pelo fórum dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) e busca aumentar a participação das pessoas na escolha das prioridades para receber investimentos estaduais. O processo teve início no dia 22 de novembro e se encerraria nesta terça-feira (30), caso não fosse prorrogado. As propostas que constam na cédula regional abrangem as áreas de turismo, meio ambiente e agricultura.


OUÇA A REPORTAGEM


Presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Luciano Moresco (Foto: Divulgação)

Segundo o presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Luciano Moresco, o Governo do Estado liberou duas parciais da votação que mostraram a baixa adesão da população. “Identificamos na semana inteira passada que as pessoas estavam tendo dificuldades no sistema de votação por aplicativo”, relata. Neste ano, a Consulta Popular acontece apenas de forma online, seja pelo site da Consulta Popular ou pelo aplicativo Colab. Porém, o aplicativo estava apresentando muitos problemas. “Eram exigidas muitas informações para que o cidadão se habilita-se a chegar na parte final para votar, e nós vínhamos durante a semana pedindo para que melhorassem o processo”, explica.

Desde o final de semana o processo então foi simplificado para facilitar o voto dos participantes, conforme o presidente. “Ainda não é o que nós pedimos, pois queríamos que simplesmente informando o número do título de eleitor e da mãe do eleitor fosse suficiente, mas por se tratar de destinação de recursos públicos, o CPF ainda se torna obrigatório”. Mesmo assim, Moresco ressalta que esse não pode ser o motivo para que as pessoas não participem da votação. “A efetiva participação da sociedade e especialmente a do Vale do Taquari que sempre foi destacada como uma das regiões que mais se envolve e de fato participa”, finaliza.

O projeto mais votado será contemplado com recursos no orçamento de 2022 em que o Vale do Taquari receberá R$ 942.857. “Nós temos na cédula três propostas de extrema importância, a primeira que trata do Cicloturismo, que é um projeto regional; a segunda que trata dos múltiplos da água, da preservação das nascentes e da conservação, vinculado ao meio ambiente, e o terceiro que trata do uso e manejo de solo para melhorar a produção de nossas áreas agrícolas”, explica Moresco.

Os três projetos do Vale do Taquari

O projeto do “Cicloturismo” (da área de Turismo) tem amplitude regional e, caso seja escolhido, será executado pela Associação dos Municípios de Turismo da Região dos Vales (Amturvales). A proposta visa contemplar todos os municípios que, por meio da sua rota, atingirá diversos pontos turísticos da região e também empreendimentos. A ideia é que sejam instaladas sinalizações para guiar os ciclistas, informando também por quais localidades e estabelecimentos eles estarão se aproximando, além de pontos de apoio.

Já os projetos “Recursos Hídricos e Uso múltiplos da água (dessedentação animal, preservação e proteção de nascentes)” (da área do Meio Ambiente) e “Fomentar a implantação do programa de uso, manejo e conservação do solo e da água” (da área da Agricultura) terão menor amplitude, visto que cada município será responsável por receber uma parcela do valor para ser aplicada na execução do projeto. Caso recebam o maior número de votos, o valor será dividido entre os 10 municípios da região que tiverem o maior número de votantes na iniciativa. Além disso, o município precisará ter alçado a participação de, no mínimo, 2% dos seus eleitores.

A proposta “Recursos Hídricos e Uso múltiplos da água” da área do Meio Ambiente busca a elaboração de um plano de trabalho com o objetivo de aumentar a capacidade de reserva de água nas propriedades, construir reservatórios, proteger e recuperar as fontes de água e os demais recursos hídricos que passam pelas propriedades e até captar água da chuva e construir cisternas.

E o projeto “Fomentar a implantação do programa de uso, manejo e conservação do solo e da água” da Agricultura se propõe a desenvolver um programa de melhoria na produção agrícola visto que a base de 95% dos municípios que compõem o Vale do Taquari é a agricultura. A proposta chama atenção para a necessidade de se olhar para as lavouras da região com um olhar mais crítico, observando as análises de solo e buscando a rotação de cultura nas pequenas propriedades.O Governo prevê para a votação deste ano a destinação de um total de R$ 30 milhões para o Estado, divididos em 28 Coredes. O valor é 50% maior do que o repassado para o programa em 2020.

Processo de votação

Seja no aplicativo ou na web, para votar, você precisa fazer o login no Colab. Se já possui um cadastro, digite seu e-mail e senha. Se for sua primeira vez, insira suas informações e crie uma conta. Antes de iniciar a pesquisa, é recomendado que esteja com CPF e Título de Eleitor em mãos. Ao iniciar a pesquisa, você precisa informar alguns dados pessoais, como CPF e data de nascimento.

Depois de validar o CPF, você pode começar a responder a pesquisa normalmente. Se você recebeu um e-mail no cadastro, você receberá uma confirmação dessa etapa. No início da consulta, você precisará informar seu Título de Eleitor, juntamente com a zona e domicílio eleitorais. Com base nessa informação, você será automaticamente direcionado(a) para as propostas que o seu Corede selecionou. Depois disso, é só escolher a proposta da sua preferência e pronto!

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui