Conta de luz fica 5,6% mais cara e vai impactar serviço e indústria

Com nível crítico nos reservatórios, a tarifa passa para o patamar mais alto da bandeira vermelha a partir de junho


0
O efeito direto bolso do consumidor será um aumento de 5,6% em relação à conta de maio (Foto: BRENO SANTOS/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO-29/05/2021)

O aumento na conta de luz começa a vigorar a partir desta terça-feira (1º). Com os níveis baixos dos reservatórios das hidrelétricas, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) decidiu acionar a bandeira tarifária vermelha, patamar 2. Isso significa energia mais cara, com custo de R$ 6,243 para cada 100 kWh consumidos. O efeito direto bolso do consumidor será um aumento de 5,6% em relação à conta de maio.

Já o impacto indireto será sentido com a alta de produtos e serviços. “É mais um desafio, mais uma pedra no caminho na prestação de serviço e da produção industrial”, afirma o economista André Braz, coordenador do IPC do FGV IBRE. A última vez que a agência reguladora acionou o patamar mais alto da bandeira tarifária foi em dezembro, após meses sem a cobrança adicional por conta da pandemia.

Em maio também foi acionada a bandeira vermelha, mas no patamar 1, cuja cobrança é de R$ 4,169 a cada 100 kWh consumidos. Nos meses anteriores, de janeiro a abril, vigorou bandeira amarela, com taxa adicional de R$ 1,343 a cada 100 kWh.

Fonte: R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui