Continua adiado: vereadores cobram votação do projeto do comércio aos domingos

Matéria deu entrada no legislativo em agosto deste ano e é lembrada por parlamentares em quase todas as sessões


0
Foto: Caroline SIlva

O projeto do Executivo que fala sobre a liberdade da abertura do comércio aos domingos e feriados em Lajeado segue adiado de votação. A matéria deu entrada na casa no dia 20 de agosto deste ano, foi colocada na ordem do dia duas vezes, todas adiada de votação. A proposta já passou pela Comissão de Justiça e Redação e está pronta para ser apreciada, mas continua ‘parada’.

Mesmo não constando na pauta de votação das últimas sessões ela segue sendo lembrada e comentada pelos vereadores. Muitos questionam o longo adiamento, mas não recebem respostas. O mesmo ocorreu na sessão desta terça-feira (9). Sérgio Kniphoff (PT) usou um espaço do seu tempo de fala para questionar a não votação do projeto. “E sobre o projeto 072, eu ainda não entendi por que ele não vem a votação. Estamos todos esperando isso. Ele está pronto”, reclama.

Alex Schmitt (PP), um dos mais interessados na aprovação da matéria, mencionou a inauguração da loja Havan em Lajeado e o movimento no shopping neste fim de semana, comparando com a possível futura lei. “Todos os colegas que estiveram na Havan na semana passada puderam perceber que a liberdade é um dos pilares fundamentais da empresa. Não basta tirar foto para comemorar os empregos gerados, é preciso que tenhamos o compromisso com a criação de novas oportunidades de trabalho. No fim das contas o projeto 072 se trata da liberdade de cada indivíduo de escolher o que é melhor para si. É urgente que nós o apreciamos”, comenta.

Lorival Silveira (PP) também falou sobre a inauguração da loja Havan no município, mas trouxe a preocupação com o tráfego nas proximidades. “Para mim a Havan é como outras lojas em Lajeado, mas o que me preocupa mesmo é o acesso à loja. Acho que antes de colocar o empreendimento deveriam pensar no fluxo do trânsito”, reflete.

Quitação de dívidas de imóveis

Um dos projetos aprovados durante a sessão foi o que autoriza o Poder Executivo a receber em dação em pagamento quatro áreas de terrenos em troca da quitação das dívidas dos próprios imóveis. Heitor Hoppe (PP) foi a favor, mas disse que a lei precisa ser revista. “Vou votar a favor, mas precisamos mudar a lei. São IPTUs de 2015 a 2021, isso gerou um custo ao município, votamos orçamento anual aqui, esses valores que estamos abrindo mão estão dentro desses orçamentos. Fizemos um planejamento em cima de números que lá na frente não se concretizam”, explana.

Mas Deolí Graff defendeu a proposta e disse que essas áreas trazem benefícios. “Penso que o valor que o município esta abrindo mão é muito inferior em relação ao benefício que essa área pode trazer para o município e para a população”, avalia.

Adiado de votação

Um projeto que estava na ordem do dia e carregava bastante expectativa do líder de governo, Mozart Lopes (PP), foi adiada de votação devido dúvidas provocadas por emendas modificativas. A matéria autoriza a abertura de concessão para exploração comercial do Parque Municipal Dr. Ney Santos Arruda, às margens do Rio Taquari. O texto deve ser discutido na reunião das comissões e apreciado na próxima sessão ordinária.

De portas abertas novamente

Desde março de 2020 de portas fechadas para o público devido a covid-19, agora a comunidade pode acompanhar de forma presencial as sessões da Câmara de Vereadores de Lajeado. A liberação começou a valer a partir desta terça, mas a presença do público foi pequena. A maioria era assessores e servidores da casa.

Texto: Caroline Silva

jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui