Cooperativa Languiru apresenta faturamento histórico de R$ 1,8 bilhão em 2020

Em termos de investimentos para 2021, a projeção é de R$ 69,2 milhões


0
Foto: Divulgação

A Cooperativa Languiru realizou assembleia no dia 30 de março. No encontro, que ocorreu de forma virtual em função da pandemia, a cooperativa apresentou o maior faturamento bruto da sua história, com R$ 1,844 bilhão; resultado líquido de R$ 68,8 milhões; patrimônio líquido de R$ 304,8 milhões; impostos gerados que somam R$ 149,2 milhões; e distribuição de sobras aos associados que totaliza R$ 10,9 milhões.

Os números, relativos à gestão 2020 foram revelados pelo presidente da Languiru, Dirceu Bayer. No que diz respeito ao desempenho técnico, industrial e comercial, no segmento suínos houve o aumento no volume de abate; no setor de aves, incremento de aproximadamente 14% no abate; no leite, crescimento da captação em torno de 12% e nas rações e concentrados, evolução de 6% na produção total.

Em termos de investimentos para 2021, a projeção é de R$ 69,2 milhões. Os projetos incluem a reformulação do pavilhão que receberá a nova estrutura do Agrocenter Máquinas, em Teutônia, com orçamento de R$ 2 milhões. As sobras totalizaram R$ 10,9 milhões e os associados aprovaram a destinação de R$ 7,876 milhões à Reserva Legal e R$ 3,028 milhões à Conta Movimento, que começa a ser paga a partir do dia 12 de abril, conforme cronograma de agendamento prévio obrigatório, em função dos procedimentos de prevenção à Covid-19.

A novidade fica por conta do cartão de identificação do associado, que será a chave para movimentação de seus créditos em compras nas unidades da Languiru. Na oportunidade ainda foi eleito e empossado o Conselho Fiscal para a gestão 2021-2022, composto pelos efetivos Maikel Altmann, Guilherme Petter e Diego Augusto Dickel; 1º suplente Davi de Moraes Gass, 2ª suplente Luisa Walter Lagemann e 3º suplente Fabio Andre Rutz. /AI/LF

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui