Coordenadora regional mostra preocupação com a qualidade da educação na pandemia

Cássia Benini falou sobre o retorno às aulas nas escolas estaduais e outros temas ligados à rede de ensino 


0
Foto: Júlio César Lenhard

As dificuldades de aprendizagem apresentadas por alunos durante a pandemia de Covid-19 ainda geram preocupação na 3ª Coordenadoria Regional de Educação, que abrange 85 escolas em 32 municípios do Vale do Taquari. A coordenadora regional de Educação, Cassia Benini, participou do programa Realidade na manhã desta terça-feira (22), na Rádio do Vale AM 820, e afirmou que a busca agora é por uma recuperação do tempo perdido.


ouça a entrevista

 


Segundo ela, o foco está nos alunos que estudam em escolas de áreas mais carentes e com menos estruturas tecnológicas, tanto no educandário quanto na própria família. “Estudos em São Paulo já mostram que não só os alunos deixaram de aprender como também desaprenderam durante a pandemia. Se formos comparar com o final de 2019, quando as aulas ainda eram presenciais, e isso nos gera preocupação pois nem todas as famílias têm a estrutura para acompanhar os alunos e dar o suporte dentro de casa para realização das atividades que são propostas a distância”, explicar a coordenadora.

Ela relata que o número de alunos que retornaram às aulas presenciais varia dependendo do educandário. “Existem escolas em que esse número chega a 90% e outras um número bem menor, depende muito da estrutura da escola e também da situação sanitária de cada lugar”, afirma.

Ainda salienta que as escolas estão se estruturando para ter as equipes completas trabalhando, em função das baixas que a pandemia causou em profissionais. “Funcionários da educação precisaram ser afastados. Em alguns casos foram substituídos foram contratados temporariamente, mas existem as equipes de trabalho como de alimentação e também estavam incompletas e agora estão retornando e cada escola gradativamente começa a ter a sua equipe completa para trabalhar”, explica.

Cássia Benini também falou sobre as obras nas escolas. Algumas delas estavam acontecendo quando se deu início a pandemia. A dificuldade é que muitas empresas que agora retomam as obras já não conseguem mais cumprir o contrato pelo preço que estava estabelecido, e uma das alternativas que a Secretaria Estadual de Educação busca é entrar em contato com os demais participantes da licitação, ou mesmo se necessário fazer uma readequação de valores para que se consiga cumprir os trabalhos.

Com recurso do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), que engloba R$ 16,5 milhões, o Estado está recebendo 95 mil cestas básicas para famílias de alunos da rede estadual. Para área de abrangência da 3ª CRE, 2375 cestas estão sendo distribuídas, sendo que cada cesta básica pesa 26,5 kg.

Outro assunto tratado pela coordenadora regional de Educação transporte escolar. Encontros para discutir o Programa Estadual de Apoio ao Transporte Escolar são realizados, e o foco do auxílio é o transporte da zona rural para a zona urbana, sendo que o único dos municípios de abrangência da 3ª CRE a não ter este convênio é Lajeado, justamente por não ter zona rural em seu território.

Texto: Júlio César Lenhard

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui